Academia Sul-Mato-Grossense de Letras marcou presença no evento cultural,
em espaço dedicado às artes literárias

Acadêmico Samuel Medeiros no Quebra-Torto Literário, em Corumbá – Assessoria

A Academia Sul-Mato-Grossense de Letras participou do Festival América do Sul Pantanal tendo a a literatura em destaque no evento que reuniu escritores e grandes poetas em Corumbá. Pela primeira vez, o FASP reservou um espaço exclusivo às artes literárias, no pavilhão cultural que recebeu o estande da ASL. Outro ponto alto foi o tradicional Quebra-Torto, que proporcionou bate-papo com escritores brasileiros e estrangeiros.

Um dos escritores é o acadêmico Samuel Xavier Medeiros (Cadeira 26), que lançou a obra “Cartas de Além Mar”. O livro reproduz antigas cartas do autor, que morava em Curitiba, e dois amigos que viviam em Portugal, durante os “anos de chumbo” – fim dos anos 60 e início de 70. “São cartas guardadas por meio século que dizem muito sobre a cultura e política nos tempos da Ditatura, apesar da nossa escrita ponderada pelo medo de ter as correspondências violadas”, conta Samuel.

Durante o encontro que lotou o espaço do Moinho Cultural, onde é realizado o Quebra-Torto Literário, Samuel Medeiros também apresentou o romance biográfico “Senhorinha Barbosa Lopes – a resistência feminina na guerra do Paraguai”, que mostra a trajetória da esposa de Guia Lopes, condutor das tropas brasileiras no maior conflito latino-americano do século XIX, em episódio conhecido como Retirada da Laguna e que originou a cidade Guia Lopes da Laguna, no sudoeste do Estado.

Para o presidente da ASL, o escritor Henrique Alberto de Medeiros, a literatura teve sua relevância ampliada em um dos maiores festivais de Mato Grosso do Sul. “Nosso primeiro estande no Festival América do Sul prestou homenagem à arte literária produzida pelos acadêmicos. Uma grata oportunidade de conquistar novos leitores e incentivar o surgimento de novos autores sul-mato-grossenses“, avaliou Medeiros, ao final do encontro em Corumbá.

Leitores do Futuro – As atividades literárias da ASL passaram ainda por escolas da Cidade Branca, com a missão de incentivar a leitura em palestras para jovens do 4º ao 9º anos. “Construímos um expressivo panorama sobre nossos escritores e estilos literários, demonstrando como é possível expressar a criatividade por meio das palavras”, concluiu a acadêmica Lenilde Ramos, que ministrou a palestra ao lado de Henrique de Medeiros, nas escolas Pedro Paulo de Medeiros e Imaculada Conceição.