Farmacêuticos são parte essencial da fiscalização de produtos agropecuários

Formação é uma das que compõem a carreira de Auditores Fiscais Federais Agropecuários

Os farmacêuticos estão entre as formações que compõem a carreira de Auditor Fiscal Federal Agropecuário (Affa) e possuem um papel fundamental na fiscalização de produtos agropecuários. Neste Dia do Farmacêutico, comemorado 20 de janeiro, o Sindicato Nacional dos Auditores Fiscais Federais Agropecuários (Anffa Sindical) gostaria de celebrar a importância desses servidores e a reforçar a necessidade de recomposição do seu quadro no serviço público.

“Os farmacêuticos atuam nos Laboratórios Federais de Defesa Agropecuária (LFDAs) realizando as principais análises, como as microbiológicas e para detectar resíduos de metais pesados e antibióticos”, conta o Affa e farmacêutico Janus Pablo Fonseca de Macedo. “Já nas Superintendências Federais de Agricultura eles atuam principalmente na fiscalização de produtos veterinários – medicamentos, em sua maioria – e de bebidas”, continua.

Farmacêuticos são essenciais também para o registro de produtos veterinários feito pelo Ministério da Agricultura, Pecuária e Abastecimento. Esses itens devem passar por análises que comprovem sua eficácia e segurança antes de serem comercializados no país, o que é realizado por Auditores Fiscais Federais Agropecuários.

“É importante frisar que temos muito orgulho de fazer parte dessa carreira tão importante para o agronegócio e para a saúde dos consumidores brasileiros”, diz Janus Pablo. “Os conhecimentos que adquirimos durante a formação, sobre tecnologia farmacêutica e química, nos permitem atuar em diversas etapas da fiscalização”, continua.

O Anffa Sindical destaca que há um baixo número de farmacêuticos no quadro de Affas do serviço público. Muitos desses profissionais se aposentaram nos últimos anos e não houve ainda concurso para repô-los, o que pode prejudicar a qualidade da fiscalização. O último concurso, realizado em 2018, abriu vagas apenas para médicos veterinários, mas é preciso – no mínimo – recompor o quadro das demais formações: farmacêuticos, engenheiros agrônomos e zootecnistas.

“Temos hoje um número muito pequeno de farmacêuticos para a demanda de registro de medicamentos, renovações de registro e auditorias em plantas de fabricação de produtos veterinários”, diz Janus Pablo. “Não temos condições de exercer a fiscalização na sua plenitude com esse quadro reduzido de profissionais”, continua.

O Anffa Sindical defende a realização de novos concursos públicos para recompor o quadro de Auditores Fiscais Federais Agropecuários. A atuação dos Affas é essencial para o sucesso do agronegócio brasileiro – garantindo a qualidade dos produtos e abrindo mercados internacionais – e para a saúde dos consumidores.

Sobre os Auditores Fiscais Federais Agropecuários

O Sindicato Nacional dos Auditores Fiscais Federais Agropecuários (Anffa Sindical) é a entidade representativa dos integrantes da carreira de Auditor Fiscal Federal Agropecuário. Os profissionais são engenheiros agrônomos, farmacêuticos, químicos, médicos veterinários e zootecnistas que exercem suas funções para garantir qualidade de vida, saúde e segurança alimentar para as famílias brasileiras. Atualmente existem 2,7 mil fiscais na ativa, que atuam nas áreas de auditoria e fiscalização, desde a fabricação de insumos, como vacinas, rações, sementes, fertilizantes, agrotóxicos etc., até o produto final, como sucos, refrigerantes, bebidas alcoólicas, produtos vegetais (arroz, feijão, óleos, azeites etc.), laticínios, ovos, méis e carnes. Os profissionais também estão nos campos, nas agroindústrias, nas instituições de pesquisa, nos laboratórios nacionais agropecuários, nos supermercados, nos portos, aeroportos e postos de fronteira, no acompanhamento dos programas agropecuários e nas negociações e relações internacionais do agronegócio. Do campo à mesa, dos pastos aos portos, do agronegócio para o Brasil e para o mundo.