Farid Afif reforça pedido por campanhas educativas prevenindo violência contra a mulher

O vereador Farid Afif – Assessoria

O vereador Farid Afif reiterou, na sessão ordinária de 21 de setembro, na Câmara Municipal de Ponta Porã, um pedido para que a Prefeitura, por meio das secretarias municipais de Educação e Assistência Social, crie campanhas educativas, de prevenção e combate à violência contra a mulher, nas escolas da Rede Municipal de Ensino (REME).

Segundo ele, “a violência contra a mulher é um problema social e de saúde pública que atinge todas as etnias, religiões, escolaridade e classes sociais. É uma violação dos direitos humanos e liberdades fundamentais. Por isto, este tipo de violência não pode ser ignorado ou disfarçado. Precisa ser denunciado por toda a sociedade. A violência pode se manifestar de várias formas, com diferentes graus de gravidade. Geralmente, com episódios repetitivos e que na maior parte das vezes, costumam ficar encobertos pelo silêncio”, argumenta.

De acordo com Farid, “na maioria das vezes, a violência acontece dentro da própria casa. Pode ser cometida pelo marido, companheiro, pai, irmão, padrasto ou qualquer outro tipo de pessoa que vive sobre o mesmo teto. Pode acontecer também no trabalho, na rua, na escola e em outros lugares. O objetivo é ensinar e conscientizar os alunos sobre a violência doméstica e familiar contra a mulher, divulgar a Lei Maria da Penha (Lei Federal n° 11.340, de 07 de agosto de 2006), por meio de palestras educativas, debates, materiais didáticos abordando os diversos tipos de violência especificados na lei e como prevenir, combater e denunciar”, argumentou Farid Afif.

Parques e praças

Ele também apresentou indicação, reiterando pedido feito anteriormente por meio da indicação n° 148/2019, em que solicitou a reforma dos aparelhos e a instalação de brinquedos e equipamentos novos de Ginástica Especial para Portadores de Deficiências Físicas nos espaços das praças de lazer e parques de nossa cidade.

Farid Afif justificou o pedido afirmando que “os brinquedos e os equipamentos de ginástica devem atender crianças e adultos portadores e não portadores de deficiências físicas, motoras e sensoriais, em conformidade com os padrões da ABNT (Associação Brasileira de Normas Técnicas). Espaços especialmente adaptados aos portadores ajudam na reintegração social dos deficientes que hoje dependem boa parte do tempo de instituições especializadas e que precisam de um convívio social mais amplo com experiências externas, para que haja uma integração sem traumas e sem discriminações, visto que a Constituição Federal estabelece o lazer como direito social”.

Outra argumentação do parlamentar é de que “independente de limitações, temos as mesmas necessidades e esta indicação não beneficia tão somente as pessoas com deficiência, mas também as que não têm, já que a prática de esportes estimula a construção de um mundo mais inclusivo. Desta forma, esperamos ser atendidos o mais breve possível”.

DEIXE UM COMENTÁRIO/RESPOSTA

Por favor, digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.