Estudo aponta que CoronaVac tem 86% de efetividade contra mortes

Pesquisa feita no Chile, com 10,2 milhões de pessoas, é primeira que prova efetividade da vacina publicada em revista científica

Chile analisou dados entre 2 de fevereiro e 1º de maio – Foto: ANSA

Um estudo científico publicado na noite desta quarta-feira (7) pela revista científica “New England Journal of Medicine” mostrou que a vacina CoronaVac, do laboratório Sinovac Biotech, apresentou 86% de efetividade para evitar mortes por Covid-19 no Chile.

A análise acompanhou cerca de 10,2 milhões de chilenos que receberam as doses durante a campanha de imunização, entre 2 de fevereiro e 1º de maio.

Além da alta efetividade contra óbitos, os principais dados mostraram que houve 65,9% de prevenção de casos da doença, 87,5% de hospitalizações e 90,3% de internação em unidades de terapia intensiva (UTIs).

A publicação dos resultados ocorre durante o momento que muitos líderes europeus questionam a eficácia da CoronaVac por conta de surtos localizados de novos casos no território chileno. No entanto, os dados mostram que o imunizante é sim capaz de ajudar a controlar e diminuir a pandemia.

O Chile é um dos países mais avançados do mundo na vacinação contra o coronavírus Sars-CoV-2, com 58% da população totalmente imunizada e outros 10% que tomaram ao menos uma dose das fórmulas disponíveis.

Além da CoronaVac, que é a vacina mais usada no país, representando cerca de 78% dos imunizantes utilizados, o Chile aplica doses da Pfizer/BioNTech, Cansino e Oxford/AstraZeneca.

No Brasil, a CoronaVac é produzida também pelo Instituto Butantan.

Da AnsaFlash

DEIXE UM COMENTÁRIO/RESPOSTA

Por favor, digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.