As escolas do Sesi de Campo Grande, Corumbá, Dourados, Naviraí e Três Lagoas conseguiram classificar 10 equipes para a 2ª rodada da etapa estadual da OBR (Olimpíada Brasileira de Robótica), que começou nesta sexta-feira (25/08) e termina no sábado (26/08), no Centro de Convenções e Exposições Albano Franco, em Campo Grande. Neste sábado, serão definidos os representantes de Mato Grosso do Sul para a etapa nacional a ser realizada no mês de novembro em Curitiba (PR).

As equipes das escolas do Sesi que disputarão a 2ª rodada neste sábado são Tupinambótica 4 (nível 1), Tubinambótica 1 (nível 2), Tupinambótica 2 (nível 2), Tupinambótica 3 (nível 2) e JYMC, todas de Corumbá, Lego Jedi (nível 2), de Campo Grande, Mega Marte 1 (nível 2) e Mega Marte Three (nível 2), de Dourados, The Vikings (nível 2), de Naviraí, e Tera Robotics (nível 2), de Três Lagoas.

Na avaliação da gerente de educação do Sesi, Simone Cruz, é uma satisfação muito grande participar do evento. “Para nós, Sesi, é um presente ser parceiro não só para sediar o evento, como também tendo times participando. Representa o empenho dos nossos professores e dos nossos alunos com essa robótica que já é interdisciplinar do 1º ao 9º ano do Ensino Fundamental e das três séries do Ensino Médio. Nesta etapa estadual, o Sesi conseguiu classificar 13 times e, dessas, 10 avançaram para a 2ª rodada, o que demonstra o bom nível do trabalho que estamos construindo”, destacou.

Nível 1

Na manhã desta sexta-feira, foi realizada a 1ª etapa do nível 1, que teve a participação de 13 equipes, sendo as nove primeiras classificadas para a 2ª rodada da etapa estadual da OBR. A equipe Tupinambótica 4, da Escola do Sesi de Corumbá, ficou em 8º lugar e participa neste sábado (26/08) da 2ª rodada, enquanto a equipe Lego Jedi Mixers (nível 1), da Escola do Sesi de Campo Grande, terminou a prova em 10º lugar, encerrando sua participação na etapa estadual da OBR.

Representando a equipe Tuminambótica 4, o aluno Paulo Henrique Almeida da Silva nem acreditava que terminou a 1ª rodada em 8º lugar. “Achei muito difícil, no começo o sensor do robô não estava reconhecendo o obstáculo da pista e isso me deixou bem nervoso, mas depois pude consertar esse problema. Já estava feliz só por ter sido classificado para participar a etapa estadual, mas agora que vou para a segunda rodada estou mais feliz ainda”, comemorou.

Para o professor Carlos Roberto Leão Campos, da Escola do Sesi de Corumbá, foi uma surpresa passar para a segunda rodada. “Achei o nível muito difícil, com uma ‘pista’ muito diferente da etapa regional. Percebemos algumas dificuldades, alguns imprevistos, mas já deu certo hoje e com certeza estamos muito felizes, porque já estávamos satisfeitos só por participar da etapa estadual”, disse.

Nível 2

Para o aluno Danilo de Melo Néspolis, da Escola do Sesi de Naviraí, se classificar para a 2ª rodada já é uma vitória. “Foi uma prova bem difícil e percebi que terei de fazer alguns ajustes para a prova de amanhã, mas independentemente do resultado, estou muito feliz por participar dessa competição, que me trouxe um aprendizado que levarei para a vida toda”, disse.

O aluno Samir Barcelos Muradi, da Escola do Sesi de Dourados, afirmou que espera um melhor desempenho na rodada de amanhã. “Estamos felizes por termos classificados, mas notamos alguns erros e mal dormiremos essa noite, porque pretendemos acordar bem cedo para programar o nosso robô para que ele se saia melhor”, avaliou.

Já Adilson Correia da Silva Junior, da Escola do Sesi de Corumbá, acredita que participar da OBR é uma grande experiência, independentemente do resultado. “Estamos aqui para aprendermos cada vez mais. Pudemos colocar em prática nossos aprendizados nas aulas e observar onde estão nossos erros, para nos dedicarmos ainda mais amanhã e podermos avançar para a rodada final”, salientou.

Avaliação

Na avaliação da diretora da Escola do Sesi de Campo Grande, Gláucia Aparecida Vital da Cruz Campos, o primeiro dia de provas foi bastante produtivo. “Conseguimos observador o trabalho realizado pelos alunos no sentido de empenho, trabalho em equipe, necessidade de compartilhamento de ideias. Praticamente uma equipe de cada Escola do Sesi em Mato Grosso do Sul conseguiu se classificar e isso demonstra a dedicação tanto dos técnicos como dos alunos, buscando sempre esse aprimoramento e, quem sabe, amanhã conquistarmos o primeiro lugar”, comentou.

Segundo o professor da Escola do Sesi de Naviraí, André Santana Vieira, treinador da equipe The Vikings, a prova teve um nível de dificuldade muito alto, mas confia no potencial dos alunos para a segunda rodada. “Amanhã é outro dia e esperamos ter um resultado ainda melhor para sermos classificados para a rodada final e, quem sabe, representar o Estado na etapa nacional da OBR”, afirmou.

A competição

O professor Amaury de Castro Júnior, que leciona na UFMS (Universidade Federal de Mato Grosso do Sul) e é o coordenador da OBR no Estado, destacou que ao todo são 48 equipes competindo no torneio. “Em 2012, quando Mato Grosso do Sul participou da OBR pela primeira vez, foram 10 equipes representando o Estado. Então é algo que está crescendo bastante. A competição estimula os alunos ao trabalho em equipe, então ficamos muito felizes por todo o apoio que estamos recebendo, porque tudo isso vai impactar positivamente na educação do nosso Estado”, ressaltou.

A Olimpíada Brasileira de Robótica é um dos torneios científicos brasileiros que se utiliza da temática da robótica e tem o objetivo de estimular os jovens às carreiras científico-tecnológicas, identificar jovens talentosos e promover debates e atualizações no processo de ensino-aprendizagem brasileiro. A competição destina-se a todos os estudantes de qualquer escola pública ou privada dos ensinos Fundamental e Médio ou técnico em todo o território nacional e é uma iniciativa pública, gratuita e sem fins lucrativos.

A primeira rodada do nível 1 da etapa estadual foi realizada no período matutino, com provas nas “pistas” fornecidas pela organização da OBR. Nessas pistas foram colocados obstáculos com diversos níveis de dificuldade, sendo que a prova e a pista simularam um ambiente de resgate de vítimas em que o robô teve de se deparar com obstáculos simulando escombros e fumaça. “O objetivo foi fazer com que os alunos testassem seus conhecimentos em informática, programação e robótica ao participarem das fases da olimpíada”, detalhou Amaury de Castro Júnior.

Já a primeira rodada do nível 2 foi disputada no período vespertino e contou com 35 equipes, que tiveram três partidas em três pistas distintas, com a mesma pontuação, se classificando 27 equipes para a segunda rodada. Neste sábado (26/08), a competição recomeça às 8h30 com a 2ª rodada do nível 1, que terão três partidas em três pistas distintas com mesma pontuação e quando se classificarão seis equipes para a rodada final, enquanto às 10 horas terá início a 2ª rodada do nível 2 com três partidas em três pistas distintas com mesma pontuação e que classificará 18 equipes para a rodada final.

Às 13h30 tem início a rodada final do nível 1 com três partidas em três pistas distintas com mesma pontuação, enquanto às 15 horas começa a rodada final do nível 2 com três partidas em três pistas distintas com mesma pontuação. Às 17h30 será realizada a cerimônia de premiação e o coordenador local anunciará os selecionados para a etapa nacional da OBR 2017, a ser realizada nos dias 7 a 10 de novembro em Curitiba (PR).