A Escola Senai da Construção entregou, nesta quarta-feira (30), o diploma aos 19 detentos do regime semiaberto que fizeram o curso de pintor de obras imobiliárias oferecido em parceria com o TJMS (Tribunal de Justiça de Mato Grosso do Sul). A entrega dos certificados foi durante a inauguração da reforma da Escola Estadual Alice Nunes Zampiere feita pelos próprios detentos como parte do programa “Pintando e Revitalizando a Educação com Liberdade”, que usa mão de obra prisional e o dinheiro dos presos para reformar escolas públicas de Campo Grande.

A gerente de educação do Senai, Dagmar Tavares Viana, que representou o diretor-regional Jesner Escandolheiro, destacou a oportunidade de reinserção desses detentos na sociedade e no mercado de trabalho. “Vejo essa parceria como uma grande oportunidade para todos. Quando o Senai entra em um projeto desses, oferecendo qualificação profissional para que detentos do semiaberto trabalhem na reforma de uma escola, vemos no mínimo dois beneficiados: a comunidade que faz uso dessa escola, que terá melhores condições a partir da reforma, e aqueles que fizeram o curso e trabalharam, tendo a dignidade resgatada e condições de se reinserir no mercado de trabalho quando terminarem de cumprir a pena”, afirmou.

O gerente da Escola Senai de Construção, Roger Benites, explicou que o curso foi oferecido concomitantemente com a reforma da escola estadual. “Foi um curso realizado pelos detentos do semiaberto, que fizeram a reforma da escola. Eles foram qualificados na formação de pintor de obras imobiliárias e conseguimos qualificar 19 alunos do semiaberto, provendo a certificação de que eles precisam para serem inseridos no mercado de trabalho”, detalhou.

Idealizador do programa “Pintando e Revitalizando a Educação com Liberdade”, o juiz Albino Coimbra Neto reforçou a parceria do TJMS com o Senai. “O Senai é um parceiro extremamente importante porque dá qualidade a tudo o que é feito na reforma, com a certificação que é muito importante para os detentos depois que estiverem em liberdade. Essa certificação ainda é de uma instituição que tem credibilidade e respeito nacional. Em termos de qualidade para a própria reforma, essa qualificação é muito importante, e em termos de ressocialização aos presos também, porque eles conseguem um diploma para depois buscarem outras oportunidades de trabalho”, salientou.

Já a secretária estadual de Educação, Maria Cecília Amêndola da Motta, elogiou o programa, ressaltando a importância de os detentos conseguirem um certificado de qualificação pelo Senai. “Os detentos do semiaberto tiveram a oportunidade de se profissionalizarem pelo Senai, uma instituição de credibilidade, para poder se reinserir no mercado de trabalho. Se todo detento tivesse essa oportunidade, seria maravilhoso. E a escola ainda saiu ganhando com uma reforma em tempo recorde e com custos bem mais baixos”, concluiu.

O detento do semiaberto Flávio Gonçalves Braga agradeceu a oportunidade de poder participar do curso de pintor de obras imobiliárias. “Já trabalhava em obras, na parte de carpintaria, mas depois do curso de pintor, adquiri mais conhecimento e qualificação. É uma área que pretendo investir depois, com certeza e só posso agradecer por essa oportunidade”, disse.

Para o detento do semiaberto Benedito Motta Ricardo, conseguir uma qualificação mesmo preso foi algo que ele não esperava. “Nunca pensei que fosse ter um diploma de pintor algum dia na vida, ainda mais depois de preso. Sempre trabalhei com construção civil e até já pintei algumas coisas, mas agora pude aprender muitas técnicas que nem conhecia. Quero trabalhar nessa área também”, declarou.

Já o detento do semiaberto Roberto Faiçal Audi destacou a importância da qualificação pelo Senai. “Já trabalhava na construção civil, mas nunca me qualifiquei para isso. Agora tenho uma oportunidade ainda maior de poder encontrar um bom emprego e dar melhor condição para minha família”, disse, acrescentando que o próximo trabalho será a pintura da própria casa.