Alunos entraram de vez na era da tecnologia, adotando mesas em círculos, datashow e notebooks – Assessoria

A Rede de Educação do Sesi de Mato Grosso do Sul saiu na frente no Estado ao implantar o Novo Ensino Médio nas sete unidades de ensino com o itinerário de formação em Matemática e Técnico em Redes de Computadores (só na unidade de Campo Grande). Agora, a Escola do Sesi de Três Lagoas é a primeira a adotar a metodologia do Novo Ensino Médio do Senai de Pompeia (SP), que é pioneiro no Brasil na utilização de experiências pedagógicas inovadoras.

Na volta às aulas, os alunos da 1ª série do Ensino Médio da Escola do Sesi de Três Lagoas deixaram para trás as tradicionais carteiras enfileiradas, os ultrapassados quadros negros, o famigerado giz e os velhos livros didáticos, cadernos e canetas e entraram de vez na era da tecnologia, adotando mesas em círculos, datashow e notebooks. Agora, ao invés das disciplinas, eles entraram nas áreas de conhecimento e a carga horária foi ampliada com foco no desenvolvimento das habilidades socioemocionais e noções sobre projeto de vida e carreira.

Essas são algumas das novidades da metodologia do Novo Ensino Médio do Senai de Pompeia, cujo itinerário vai pela Ciências da Natureza com “Arquitetura Pedagógica: Transformação”. A turma da 1ª série do Novo Ensino Médio da Escola do Sesi de Três Lagoas é formada por 31 alunos, que vivenciam a marca registrada de educação da instituição em Mato Grosso do Sul, que é focada na formação para a vida e na qual o aluno é protagonista da própria aprendizagem.

A metodologia é baseada no modelo canadense, com conceitos de educação, especialmente no Profound Learning (Conhecimento Profundo em tradução livre). Há seis anos implantada no Senai de Pompeia, o método inovador entrou em vigor na Escola do Sesi de Três Lagoas por meio de uma parceria com a com a instituição paulista, sendo que a unidade do Sesi de Mato Grosso do Sul é a primeira do Brasil a adotar a metodologia inovadora.

Pensamento crítico

Segundo o superintendente do Sesi, Bergson Amarilla, além de estimular a autonomia e o protagonismo, o modelo implementado desenvolve o pensamento crítico. “Os estudantes são desafiados o tempo inteiro a trabalhar com projetos e aprendem a buscar soluções em grupo. As disciplinas que seriam dadas de forma isolada são integradas e todos professores trabalham articulados. Além da capacidade técnica, estamos formando cidadãos que saberão se posicionar e respeitar a opinião contrária”, afirmou.

Os alunos serão autoavaliados e não terão aplicadas as tradicionais provas, além de fazerem autogestão do próprio tempo escolar. “A mensuração do desempenho do aluno é realizada por meio do próprio apontamento em demonstrar que tem o conhecimento que a habilidade exige, também pelo professor que solicita evidências de seu aprendizado e valida suas habilidades e competências. Ou seja, o aluno é protagonista do seu desenvolvimento”, explicou Bergson Amarilla.

Com cada estudante tendo o próprio notebook para ser utilizado em sala de aula, superintendente do Sesi reforça que a metodologia do Novo Ensino Médio do Senai de Pompeia incentiva a implementação de procedimentos inovadores que ampliam o uso de tecnologias e estimulam o protagonismo dos estudantes. “Esses são fatores fundamentais para prepará-los para o mundo produtivo cada vez mais tecnológico, digital e competitivo”, pontuou, informando que a metodologia do Senai de Pompeia está prevista para chegar às escolas de Campo Grande e Dourados.

A diretora da Escola do Sesi de Três Lagoas, Zuleica Alves Guimarães, ressalta que, com as mudanças que vêm ocorrendo no mundo, a instituição de ensino precisa estar alinhada com a realidade para a formação de profissionais do futuro, com perfis adequados às novas profissões que surgirão, a exemplo do que já ocorre hoje com a Indústria 4.0. “Apoiados na legislação e necessidades atuais, o Sesi está trazendo o Novo Ensino Médio em que a abordagem de trabalho está pautada em uma educação disruptiva, que irá preparar efetivamente os alunos para os desafios do Século XXI”, ressaltou.

Treinamento

Os professores precisam dialogar com uma geração extremamente tecnológica, então, estímulo, capacitação e formação contínua são elementos essenciais para o profissional. Para atender essa demanda, a Escola do Sesi de Três Lagoas realizou treinamento de formação ministrado pela equipe da Escola do Senai de Pompeia, que trabalhou a metodologia “Arquitetura Pedagógica Transformação”, que norteia implantação do Novo Ensino Médio com itinerário formativo em Ciências da Natureza.

Além disso, os professores foram submetidos a avaliação de perfil. “Eles foram selecionados não só pela competência de conhecimento em sua área, mas também pela análise de perfil para avaliar se eles estavam aderentes a esse método”, ressaltou Bergson Amarilla, revelando que o perfil dos 31 alunos que estão cursando o Novo Ensino Médio também será analisado. “O objetivo é que possamos melhorar a nossa oferta para esses estudantes e potencializá-los as suas habilidades comportamentais e trabalharmos as habilidades que necessitam ser desenvolvidas”, explicou.

A diretora da Escola do Sesi de Três Lagoas completa que, no 1º dia de aula, os estudantes receberam a principal ferramenta de trabalho a ser utilizada: um notebook, que será utilizado em substituição aos cadernos e livros didáticos. “Cada aluno utiliza seu próprio notebook para realizar as atividades e, também no início do ano letivo, eles foram apresentados aos princípios da ‘Arquitetura Pedagógica Transformação’. Eles conheceram ainda as ferramentas, plataformas educacionais e ambientes virtuais que servirão de apoio para as suas descobertas, propostas nas jornadas educacionais”, lembrou.

Zuleica Guimarães destaca que foi encantador ver a expectativa e o brilho nos olhos dos alunos da 1ª série do Novo Ensino Médio quando a equipe foi até a sala de aula apresentar as bases e os princípios que rege toda a proposta dessa nova metodologia. “O nosso 2º dia de aula foi bem diferente do que já tivemos em nossa vida escolar. O Novo Ensino Médio do Senai de Pompeia é, sem dúvidas, uma coisa de outro mundo. Tivemos as entregas dos computadores e aprendemos um pouco mais sobre essa nova fase das nossas vidas. Usar o computador para estudos ao invés de cadernos e livros é um jeito muito mais prático de absorver as matérias”, garantiu a aluna Caterine Helena Marques Vanin.

Pais e alunos aprovam novo método

Os estudantes do Novo Ensino Médio da Escola do Sesi de Três Lagoas já aprovaram a metodologia do Senai de Pompeia e os pais são unânimes em afirmar que o formato não convencional das aulas necessitava ser substituído por esse novo método de ensino para despertar o interesse dos adolescentes. A busca de soluções e o fato de trabalhar em grupo são os pontos que mais estimulam a estudante Hermione Michelle Ordeonez, 15 anos. “O aprendizado é mais efetivo porque o aluno sai do modo tradicional e vai buscar, pesquisar, tem mais curiosidade em aprender. Não estamos mais enfileirados um atrás do outro, assim trabalhamos em grupo, conhecemos outras pessoas, não fica só aquela coisa de grupinhos”, garantiu.

A mãe de Hermione, Mabel Oliveira dos Santos, 55 anos, aponta suas percepções positivas sobre o Novo Ensino Médio. “A proposta inovadora em que os alunos vão em busca do conhecimento fará com que eles vão atingir autonomia dentro da sociedade. É muito importante para que eles estejam preparados para todos os desafios, principalmente aqueles fora da escola”, disse. A mãe do aluno Gabriel Martins Fernandes dos Santos, 14 anos, Gilmara Fernandes, 39 anos, também divide da mesma opinião e afirma que o mercado de trabalho estará cada vez mais exigente e que ninguém mais pode se dar ao luxo de não se qualificar.

“Os jovens estão na fase de descoberta e essa nova metodologia contribui para o aprendizado, em que os pais não precisam ficar no pé. Eles vão aprender por interesse deles, estimula a busca por conhecimento. Isso que eles precisam para viver neste mundo competitivo”, falou Gilmara Fernandes. Já o filho dela, Gabriel Fernandes, comenta que está gostando muito da nova metodologia porque se sente independente para desenvolver suas habilidades. “No ensino tradicional ficávamos muito preso ao professor, ao que ele passava na lousa, em seguir o livro. Agora, nós temos aulas integradas, a gente faz as atividades propostas pelos professores, mas cada um vai além e se aprofunda mais naquilo que não temos facilidade em aprender. Os professores nos orientam para que todo o conhecimento seja anivelado e todas as dificuldades superadas”, avaliou.

A aluna Caterine Helena Marques Vanin, 16 anos, destaca que sente a praticidade no processo de aprendizado. “O material é mais interessante para aprender, fazendo com que que a gente procure o conhecimento e não que seja algo imposto”, disse. “Confesso que o Novo Ensino Médio superou as minhas expectativas. A proposta é realmente inovadora, com plataformas de suporte e incentivo aos alunos”, disse o aluno Lucas Viscovini dos Santos.

Deputado Zé Teixeira