Time é formado por jovens estudantes do 6º e 7º anos do Ensino Fundamental – Divulgação

Após dois dias enfrentando uma maratona de desafios e equipes de estudantes de escolas públicas e particulares de todo Mato Grosso do Sul, o time MegaMentes, da Escola do Sesi de Dourados, conquistou o 2º lugar da etapa estadual da Olimpíada Brasileira de Robótica (OBR), que terminou na tarde desta sexta-feira (23/08), em Campo Grande (MS).

Agora, o time, formado por jovens estudantes do 6º e 7º anos do Ensino Fundamental, está classificado para disputar a etapa nacional da competição, considerada a maior olimpíada de robótica da América Latina, que está marcada para os dias 22 a 26 de outubro, na cidade de Rio Grande (RS).

Os alunos do MegaMentes, João Gabriel Magalhães Faqui, Luíza Gonçalves Lima e Laura Luiza Pereira Sanches contam que a preparação para a OBR foi intensa. Eles disputaram a classificação com outros 50 times do Nível I, onde concorrem alunos do 6º ao 9º ano.

“O trabalho em equipe é sempre o mais importante para conquistar um bom resultado. O MegaMentes treinou juntos e, por isso, chegamos até aqui”, garantiu Laura Sanches.

Para João Gabriel Faqui, a vitória é importante, mas é apenas mais um degrau para futuras competições. “Precisamos continuar focados para a etapa nacional da OBR e para os próximos torneios de robótica que virão”, disse.

“Uma competição oficial é sempre um grande aprendizado, porque os treinos são intensos, mas estar no meio da arena, concorrendo com várias outras escolas, é sempre muito emocionante e faz a gente evoluir muito”, acrescentou Luíza Lima.

O professor Wesley Sarati Coelho, que é técnico do time, considera que a educação inovadora das escolas do Sesi facilita que os alunos tenham um bom desempenho em competições como a OBR. “Além das aulas de robótica, que fazem parte do dia a dia dos alunos, a participação em diversos torneios, como o Interclasse de Robótica e o da FLL (First Lego League), tornam natural para eles cumprir as missões propostas”, explicou.

Na OBR, por exemplo, os competidores precisaram usar a criatividade para construir robôs de Lego e, depois, o conhecimento da linguagem de programação para prepará-los para cumprir missões como desviar de obstáculos e cumprir determinados percursos. Em Mato Grosso do Sul, a OBR é realizada todos os anos com apoio do Sesi, que enxerga na robótica educacional uma ferramenta de facilitação e inovação do aprendizado.

“A transformação digital é uma realidade, e iniciativas para inseri-las na educação não faltam. Mas uma educação como essa necessita de uma reinvenção da escola e, sem dúvida, estamos preparados para isso. A educação 4.0 já está aí, batendo à nossa porta”, concluiu o gerente do Sesi de Campo Grande, Helton Leal.