‘Erro humano’ foi elemento chave por abatimento de avião ucraniano, diz Irã

Aeronave com 176 pessoas foi derrubada em Teerã, em janeiro

Destroços de avião ucraniano abatido pelo Irã em janeiro de 2020 – Foto: ANSA

Um “erro humano” na regulação de um radar militar foi o “elemento chave” para o abatimento de um avião da Ukraine International Airlines (UIA) em Teerã, capital do Irã, na madrugada de 8 de janeiro de 2020, com 176 pessoas a bordo.

É o que aponta um relatório divulgado na noite deste sábado (11) pelo órgão de aviação civil do governo iraniano, que inicialmente negara culpa na queda da aeronave. O inquérito concluiu que o Boeing 737-800 foi abatido por dois mísseis do sistema antiaéreo do Irã, lançados com 30 segundos de diferença entre eles.

O avião voava de Teerã a Kiev, na Ucrânia, com 176 pessoas a bordo, entre passageiros e tripulantes. Todas elas morreram. 147 ocupantes da aeronave eram iranianos, incluindo aqueles com dupla cidadania.

Segundo o relatório, um “erro humano” cometido pelo operador de um dos sistemas de defesa provocou um equívoco de 107 graus na direção geográfica do radar. “Após o alinhamento errado, o sistema não pôde identificar com precisão a trajetória do avião ucraniano”, diz o inquérito.

Naquela madrugada, o Irã havia disparado mísseis balísticos contra duas bases militares dos Estados Unidos no Iraque, em retaliação pelo bombardeio americano que matou o general Qassem Soleimani, em Bagdá, na semana anterior.

Por conta disso, a defesa antiaérea iraniana estava em alerta máximo para eventuais respostas dos EUA. O abatimento por engano provocou protestos populares no Irã, revertendo contra o regime a onda de comoção que havia dominado o país após a morte de Soleimani.

Da AnsaFlash

DEIXE UM COMENTÁRIO/RESPOSTA

Por favor, digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui