O coordenador do plano de governo do candidato ao governo de Mato Grosso do Sul, juiz Odilon de Oliveira, Herbert Assunção, que também auxilia na coordenação de campanha do pedetista, concedeu entrevista na manhã desta quarta-feira, 17, a rádio CBN, de Campo Grande, onde afirmou que a administração de Odilon será embasada na ruptura das velhas práticas de se fazer política.

“A mudança de verdade acontece com a ruptura com o que está aí. É inadmissível continuar com esse estado de coisas, continuar indo para as manchetes de jornais de forma negativa, indo para as manchetes como um governo corrupto, não dá, é a ruptura com isso, com o passado. Fazer o governo em benefício das pessoas, ter ações transversais, ações de governo de Estado que vá beneficiar a vida das pessoas a longo prazo”, declarou Assunção.

De acordo com o empresário, o Plano de Governo foi pensado para atuar de forma transversal, ou seja, realizar uma cadeia de benfeitorias que vão atingir não só a área a que foi destinada a melhoria, mas várias outras.

“Pensar o conjunto da obra, não só áreas isoladas. Pensar no em favorecer e fortalecer o desenvolvimento do município com ações do governo Estadual. Quando a gente fala em segurança pública, por exemplo, o juiz fala que a gente tem que focar em educação, porque segurança também se faz com educação, com melhoria da saúde. Segurança se faz com o desenvolvimento da região de fronteira, geração de emprego e renda lá, oportunidade de trabalho. Então, pensar em várias ações no conjunto da obra, não só isoladamente, por isso a transversalidade”, explicou.

Para Assunção, o modelo proposto por Odilon vai olhar mais para a população mais carente e que precisa de educação de qualidade e saúde pública. “A gente tem que fazer um governo para o povo, com mudança de verdade, romper com isso, a ruptura é exatamente nesse aspecto, romper com as coisas onde vou priorizar ações que beneficiam um grupo. Fazer em benefício do povo”.

Veja aqui a entrevista na íntegra

Da Assessoria