Com o objetivo de capacitar mão de obra para atender o Projeto Horizonte 2, que dobrará a capacidade de produção e o número de funcionários da Fibria em Três Lagoas (MS), o Senai promoverá, em parceria com a empresa, 24 turmas do curso de operador de máquinas florestais e seis turmas do curso de mecânico de manutenção de máquinas florestais, distribuídas pelos municípios de Três Lagoas, Água Clara e Brasilândia, totalizando 637 alunos.

O diretor-regional do Senai, Jesner Escandolhero, acompanhado pelo diretor-técnico Gilberto Evídio Shaedler e pelo gerente da unidade de Três Lagoas, Antônio Carlos de Campos Faria, esteve na sede da Fibria, na segunda-feira (29/05), para conhecer as obras de expansão da indústria de celulose e reforçar a parceria já existente, que nasceu com a implantação da empresa no Estado e perdura até hoje.

“Temos muito orgulho de fazer parte dessa história, que foi determinante para a economia de Mato Grosso do Sul como um todo. Antes do início das obras de expansão, a Fibria empregava diretamente três mil pessoas em Três Lagoas e, com o início das operações do Horizonte 2, previsto para o fim de agosto, esse número vai saltar para seis mil pessoas. Esse é apenas um dos dados que ilustram a relevância desse projeto e, consequentemente, da participação direta do Senai com a qualificação de mão de obra”, frisou Jesner Escandolhero.

Segundo o diretor-técnico do Senai, Gilberto Shaedler, o curso de operador de máquinas florestais capacitou 136 pessoas em Água Clara, divididas em quatro turmas, entre os dias 31 de outubro de 2016 e 31 de março de 2017, enquanto em Brasilândia as aulas começaram em 9 de março e seguem até 4 de agosto, capacitando mais 136 pessoas também divididas em quatro turmas, e, em Três Lagoas, as aulas começam em 11 de julho e seguem até 1º de dezembro, totalizando 182 alunos divididos em mais 4 turmas.

“No curso de mecânico de manutenção de máquinas florestais, capacitamos 63 alunos em Água Clara, divididas em duas turmas, entre os dias 15 de setembro de 2016 e 23 de fevereiro de 2017. As aulas em Brasilândia começaram em 23 de janeiro e seguem até 5 de julho, capacitando mais 60 pessoas, também divididas em duas turmas. E, em Três Lagoas, serão capacitadas 60 pessoas, divididas em duas turmas, com aulas entre os dias 30 de maio e 24 de outubro”, informou Gilberto Shaedler.

O gerente do Senai de Três Lagoas, Antônio Carlos de Campos Faria, explica que, para fazer o curso de operador, é preciso ter 18 anos completos e ter concluído o Ensino Fundamental, enquanto para o curso de mecânico é preciso ter 18 anos completos, ter concluído o Ensino Médio e possuir Carteira Nacional de Habilitação C ou D. “Para estas turmas específicas, foi realizado um processo seletivo e a Fibria, além de arcar com as mensalidades, repassa uma bolsa de estudos aos alunos. Parte dos concluintes será contratada pela empresa. Isso tudo faz com que seja atraído um número considerável de interessados”, explicou.

O gerente de desenvolvimento humano e organizacional da Fibria, Arnaldo Milan, ressaltou que a reunião com os diretores do Senai foi pensada para apresentar a totalidade do Horizonte 2 e reforçar o quanto a parceria é estratégica para o sucesso do projeto. “Quando iniciamos as obras e operações do Horizonte 1, importamos um número considerável de trabalhadores, em função da falta de mão de obra qualificada. Com o início da parceria com o Senai esse quadro começou a mudar e, hoje, podemos comemorar o fato de termos 100% de trabalhadores locais na expansão da unidade”, declarou.

Horizonte 2

A Fibria investiu R$ 7,5 bilhões no projeto Horizonte 2, obra que fará a capacidade de produção saltar de 1,3 milhão para 3,25 milhões de toneladas de celulose branqueada por ano, transformando a unidade três-lagoense em um dos maiores sites de produção de celulose no mundo. A obra está 87% concluída e gerou 40 mil empregos diretos e indiretos.

Hoje, aproximadamente 8,5 mil trabalhadores circulam diariamente pelas dependências da empresa em turnos de 24 horas. Quando começar a operar, no final de agosto, o Horizonte 2 empregará 3 mil pessoas que, somadas às 3 mil que trabalham no Horizonte 1, alcançará a marca de 6 mil trabalhadores próprios e terceirizados dentro da unidade.

Somente o Horizonte 1 foi responsável por um aumento de 300% no PIB de Três Lagoas e de 13% no PIB de Mato Grosso do Sul. Com o Horizonte 2, haverá um incremento de 2.100% nas exportações do município e de 50% nas exportações do Estado. No final de abril, a empresa bateu a marca de 1 milhão de horas de treinamento em capacitação e formação de profissionais especializados, parte disso em parceria com o Senai.

Para o abastecimento do projeto Horizonte 2, serão necessários 187 mil hectares de florestas plantadas em áreas próprias, arrendamentos e parcerias, além da compra de madeira futura de terceiros. Atualmente a empresa já conta com excedente de 132 mil hectares plantados ou sob contrato de plantio.