Em quarentena, alunos da Escola do Sesi de Naviraí trabalham gêneros textuais na prática

Como parte das aulas online adotadas devido ao avanço da pandemia mundial do novo coronavírus (Covid-19), os alunos do 6º ano do Ensino Fundamental da Escola do Sesi de Naviraí receberam a missão de fazer uma entrevista com alguém próximo, já que não podem sair devido à quarentena. Eles usaram como tema o próprio isolamento e as aulas remotas, trabalhando dessa forma a oralidade, uma das principais características do gênero textual “entrevista”.

Segundo a professora Léia Cristina Agostini Ribeiro, que leciona as disciplinas de Língua Portuguesa e Técnicas de Redação, por meio da ferramenta TEAMS, da Microsoft, fez a explanação do gênero e suas características, debatendo sobre o tema escolhido para o trabalho proposto. “Em seguida, os alunos elaboraram um roteiro da entrevista com as perguntas que seriam feitas ao entrevistado, passando pela minha aprovação, que corrigi alguns erros”, recordou.

Na sequência, acrescenta a professora, os alunos realizaram a entrevista com a pessoa escolhida, que, devido à quarentena, teve de ser um familiar próximo, gravando em um vídeo para ser entregue. “Foi produtivo, pois os alunos, mesmo estando em casa, conseguiram trabalhar, na prática, o gênero proposto. Eles foram bem receptivos com a atividade e percebi que, apesar das dificuldades que alguns apresentam em lidar com a própria imagem em um vídeo, se esforçaram bastante”, afirmou.

Para a aluna Luise Galli Brito, a atividade foi muito gratificante. “Eu gostei muito, pois me fez sentir como uma repórter de verdade e ajudou a descontrair, fugindo um pouco das aulas em que a gente precisa escrever o tempo todo”, comparou. “Achei muito legal porque eu estava entrevistando alguém como se fosse um repórter de verdade. Me fez sentir importante”, completou o aluno Murilo Hainoski Zonta.