Francisco ainda pediu para os fiéis permanecerem humildes

Perante os milhares de fiéis que foram à Praça São Pedro para celebrar o Domingo de Ramos, que dá início à Semana Santa, o papa Francisco fez um alerta para a tentação do “triunfalismo”, o que se opõe ao “caminho da humildade”.

“O triunfalismo procura tornar a meta mais próxima por meio de atalhos, falsos comprometimentos. Ele vive de gestos e palavras, que não passaram pelo cadinho da cruz; alimenta-se da comparação com os outros, julgando-os sempre piores, defeituosos e falhos”, explicou o Pontífice.

Segundo o líder da Igreja Católica, “uma forma sutil de triunfalismo é a mundanidade espiritual, que é o maior perigo, a mais hipócrita tentação que ameaça a Igreja”.

“Jesus destruiu o triunfalismo com a sua Paixão”, lembrou ele aos fiéis durante a celebração que lembra a chegada de Jesus Cristo à cidade de Jerusalém onde, dias mais tarde, ele seria morto e crucificado. A data é uma das mais importantes das celebrações da Páscoa para os católicos. No centro da Praça São Pedro, perto do obelisco, Francisco abençoou as palmeiras e ramos de oliveiras, antes de seguir em procissão para o altar, diante da Basílica. Durante a celebração, o argentino também relembrou a importância da Paixão de Jesus como “modelo de vida e de vitória contra o espírito do mal”. “Jesus nos mostra como enfrentar momentos difíceis e as tentações mais traiçoeiras, guardando em nossos corações uma paz que não é isolamento, não é ficar impassível nem fazer o super-homem, mas confiante abandono ao Pai e à sua vontade de salvação, de vida e misericórdia”, acrescentou.

O Papa ainda ressaltou que durante a entrada em Jerusalém, Jesus “também nos mostra o caminho”, porque, na ocasião, o “maligno tinha uma carta para jogar: a carta do triunfalismo, e o Senhor respondeu permanecendo fiel ao seu caminho, o caminho da humildade”.

“Nos momentos de escuridão e grande tribulação, é preciso ficar calado, ter a coragem de calar, mas com a mesma atitude de Jesus”, sustentou.

A celebração contou com a presença de jovens de Roma e outras dioceses, por ocasião da celebração do XXXIV Dia Mundial da Juventude.

Por fim, Jorge Bergoglio recordou os diversos santos e santas jovens que a Igreja Católica já conheceu e fez um pedido especial.

“Queridos jovens, não tenham vergonha de manifestar o seu entusiasmo por Jesus, gritar que Ele vive, que é a sua vida.

Mas, ao mesmo tempo não tenham medo de segui-lo pelo caminho da cruz”, finalizou.

Da AnsaFlash