Em Dourados, cesta básica registra aumento de 2,16% em maio

O valor da cesta básica do mês de maio apresentou aumento de 2,16%, conforme pesquisa realizada pelo projeto de extensão Índice da Cesta Básica do Município de Dourados, do curso de Ciências Econômicas da Faculdade de Administração, Ciências Contábeis e Economia (FACE/UFGD). A coleta de dados foi feita na última semana do mês de maio e primeira de junho.

Em maio, o trabalhador douradense teve que destinar R$ 455,09 para a compra da cesta básica, o que equivale a 43,55% do salário mínimo vigente no país. Os produtos que compõem a cesta são: açúcar, arroz, banana, batata, café, carne, farinha de trigo, feijão, leite, margarina, óleo de soja, pão francês e tomate.

A partir da Constituição Federal de 1988, o trabalhador brasileiro deve trabalhar 220 horas mensais. Em maio, esse mesmo trabalhador precisou de um tempo maior para comprar alimentos que foi de 95 horas e 48 minutos, o que representou uma perda do poder de compra do salário comparado com o mês de abril.

Dos 13 produtos que compõem a cesta básica, 10 apresentaram um aumento dos seus preços, entre eles a batata, que teve um aumento expressivo e pelo segundo mês seguido chegando a 22,32%; o arroz, com aumento de 9,30% e o feijão, com 8,27% de elevação. Também tiveram aumento o açúcar, com 12,20%; o leite, com 6,53%; a farinha de trigo, com 4,92%; a banana, que aumentou 2,37%; a carne, 2,09; o pão francês, que aumentou 1,89%; o açúcar, com 1,84% e o óleo de soja, com 0,78%.

E três produtos registraram queda de preços no mês de maio, esses foram o tomate, com uma queda significativa e pelo segundo mês seguido de 17,64%; a manteiga, com 4,02% e o café, que fechou com 1,08%.

A diferença de preços entre um supermercado e outro foi de R$ 60,16, ou seja, 14,50% menor. O PROCON de Dourados coloca essa informação no início de cada mês. O método facilita a comparação dos preços praticados por cada estabelecimento ao apresentá-los nominalmente.

O PIB (Produto Interno Bruto) de Dourados no ano de 2019 foi de 10,08 bilhões de reais, conforme os dados do Perfil Socioeconômico. O PIB é o conjunto de bens e serviços gerados pela sociedade num período de tempo. Segundo estimativa do governo, revista na última semana de maio, a queda projetada devido à pandemia seria de 6,5%, com isso, o município de Dourados teria uma perda de 655,2 milhões de reais neste ano. O agronegócio foi o único que apresentou crescimento enquanto os outros setores fecharam com queda.