Em dois anos e meio de gestão, Governo de MS aplica mais de R$ 200 milhões em investimento na Capital

Educação é prioridade na gestão Reinaldo Azambuja. Somente em 2016, foram investidos R$ 11,5 milhões somente na Capital – Foto: Chico Ribeiro
Educação é prioridade na gestão Reinaldo Azambuja. Somente em 2016, foram investidos R$ 11,5 milhões somente na Capital – Foto: Chico Ribeiro

Por meio do Obra Inacabada Zero, o Governo já executou maior parte da pavimentação asfáltica do bairro.

Os moradores do bairro Aero Rancho, em Campo Grande, vão receber novos investimentos executados pelo Governo de MS. Isso porque, em parceria com as emendas parlamentares federais, o governador Reinaldo Azambuja dará continuidade ao asfaltamento e drenagem da etapa G. Conforme dados do Plano Diretor de Transporte e Mobilidade Urbana, publicado em julho de 2015 pela prefeitura do município, o bairro Aero Rancho na região do Anhanduizinho é o mais populoso da Capital, com mais de 45 mil habitantes. Em seguida estão Santo Amaro (22.926 habitantes), Moreninha (22,874), Nasser (20.297) e Tiradentes (20.200).

Por meio do Programa Obra Inacabada Zero, o Governo Estadual já executou a pavimentação asfáltica das etapas E, F e G do bairro Aero Rancho, com investimentos que chegam a R$ 5,6 milhões. As obras contemplaram três setores, pavimentando 104.573 metros quadrados de ruas e 8.308 metros de sistema de drenagem. Fizeram parte do pacote de obras a avenida Graciliano Ramos, rua Santa Quitéria e avenida Costa de Melo, rua Raquel de Queiróz, avenida Anhembi, rua do Carimbó, rua da Divisão, rua Taumaturgo e avenida Ezequiel Ferreira de Lima.

Agora, o governador lança a continuidade da pavimentação e drenagem da etapa G, que será executada em parceria com emenda parlamentar do ex-deputado federal, Fábio Trad, e está orçada em R$ 1,2 milhão. Serão pavimentados os seguintes trechos de ruas no Aero Rancho:

  • Universal – entre a Rua Graça Aranha e a Rua Inês Rodrigues Bongiovani;
  • Taumaturgo – entre a Graça Aranha e a Canutama;
  • Carmen Miranda – entre a Graça Aranha e Inês Rodrigues Bongiovani;
  • Inês Rodrigues Bongiovani – entre a Universal e a Rua Bueno.

“Os projetos executados em parceria com a bancada federal possibilitam o desenvolvimento do Estado. Nós assumimos o compromisso de dar melhores condições de vida para as pessoas e consequentemente ajudar na gestão dos 79 municípios indistintamente. A população sul-mato-grossense vai receber até o final de 2018, R$ 597 milhões em obras de pavimentação e drenagem de vias urbanas. Só para Campo Grande são R$ 101 milhões para recapeamento de diversas ruas. Esse é o compromisso da nossa gestão: fazer o bom uso do dinheiro público para poder levar cada vez mais melhorias para as pessoas”, declarou Reinaldo Azambuja.

Para o prefeito de Campo Grande, Marcos Trad, o apoio do Governo do Estado e da bancada federal é de suma importância para superar as dificuldades. “A Prefeitura, assim como o País, passa por uma crise, com redução de repasses e dificuldade de fazer investimentos. Esta ajuda é de extrema importância para a cidade. Só com a união de esforços vamos conseguir vencer esta crise e desenvolver nossa cidade. Nós agradecemos ao ex-deputado Fabio Trad e a todos os parlamentares que pensam na cidade e estão empenhados em ajudar a levantar Campo Grande”, declarou.

Governo investe na Capital

Em dois anos e meio de gestão, o Governo do Estado já aplicou mais de R$ 200 milhões em investimentos em Campo Grande. Reinaldo pontua que em sua gestão, os 853.622 habitantes (IBGE 2015) da Cidade Morena receberam melhorias na saúde, educação, segurança pública, infraestrutura e milhares de casas populares.

“Até 2018 serão R$ 101 milhões em obras de recapeamento de diversas ruas da Capital. Está em execução o asfaltamento do Polo Empresarial Miguel Leteriello, 89,89% executado e com investimentos do Estado de R$ 1,7 milhão. Em processo licitatório também está a pavimentação e drenagem de diversas ruas do Polo Industrial Indubrasil, onde será investido cerca de R$ 8,1 milhões de recursos estaduais”, disse o governador.

A lista de melhorias traz ainda a recuperação e duplicação da avenida Euler de Azevedo. As obras seguem a todo vapor. Serão readequados 4,5 quilômetros de extensão, com investimentos na ordem de R$ 16,5 milhões. As obras na parte da MS-080 – que passa por dentro da Capital – iniciam próximo ao Centro de Pesquisas da Agraer (Cepaer).

Áreas prioritárias

O Governo de MS mantém investimentos em todos os hospitais de Campo Grande. Logo ao assumir o mandato, o governador determinou a abertura de 10 novos leitos de UTI Adulto no Hospital Regional que somados aos 20 já existentes, totalizam 30 leitos, com investimento mensal de cerca de R$ 1,5 milhão. Na maternidade Cândido Mariano, o Governo custeia 10 UTIs Neonatal, com repasse mensal de R$ 193 mil.

No hospital do Câncer Alfredo Abrão são 20 leitos mantidos pela gestão estadual, com investimentos mensais de R$ 900 mil. O Governo possibilitou ainda a conclusão do subsolo, área destinada a exames e laboratório, e o térreo, onde funcionará a administração e consultórios do hospital, destinando recursos de R$ 1,2 milhão. Também batalhou junto ao Ministério da Saúde pelo recém-adquirido acelerador linear para a instituição.

O Hospital São Julião também conta com apoio do Governo. Foram destinados R$ 378 mil em recursos próprios para pavimentação do acesso à nova ala do Hospital do São Julião – o Centro de Cuidados Integrados (CCI), uma unidade com 22 leitos. Além da obra de infraestrutura, o Estado doou 22 camas fawler para o CCI e 800 itens hospitalares para o bloco cirúrgico do Hospital. De R$ 150 mil, em 2015, o repasse de custeio passou para R$ 750 mil mensais para o funcionamento dos 22 novos leitos.

Além disso, outros 128 novos leitos de UTI serão inaugurados com conclusão do Hospital do Trauma, orçada em R$ 8,44 milhões, sendo R$ 1,6 milhões do Governo de MS. Isso sem falar do maior programa de reestruturação da saúde no Estado, o Caravana da Saúde, que realizou 22 mil cirurgias entre oftalmológicas e procedimentos de alta complexidade, 200 mil procedimentos, totalizando 100 mil pessoas atendidas em Campo Grande. Foram mais de R$ 19 milhões em investimentos na melhoria da qualidade de vida da população campo-grandense.

Segurança Pública

Logo no início do Governo, Reinaldo Azambuja atendeu uma antiga reivindicação da categoria e autorizou em agosto de 2015 a mudança das instalações do Centro Especializado de Polícia (Cepol), da avenida Ceará para o bairro Tiradentes. Foram investidos R$ 200 mil em equipamentos e mobiliário para o novo prédio de 2 mil metros quadrados. O novo espaço abriga cinco unidades, sendo a Delegacia Especializada de Defraudações e Crimes Fazendários (Dedfaz); a Delegacia Especializada de Atendimento a Infância, Juventude e Idoso (Deaiji); Delegacia Especializada de Ordem Política e Social (Deops); Delegacia Especializada de Polinter e Capturas (Polinter); e a Delegacia Especializada de Homicídios (DEH).

Além disso, Campo Grande vem recebendo investimentos maciços do Programa de investimentos “MS Mais Seguro”. Estão sendo destinados R$ 96,4 milhões para a estruturação do Corpo de Bombeiros e das polícias Civil e Militar. Dos recursos garantidos pelo programa, R$ 78,8 milhões são próprios do Governo do Estado. Outros R$ 15,9 milhões são do Governo Federal – provenientes do Ministério da Justiça e Cidadania para a substituição e modernização do sistema de rádio e comunicação das polícias Civil e Militar. O restante é de emendas parlamentares estaduais (R$ 1,6 milhão) e emendas parlamentares federais (R$ 30 mil).

Já foram entregues por meio da ação, 20 motocicletas de 660 cilindradas que impulsionaram pelotão de moto da elite da Polícia Militar em Campo Grande; além de 102 novas viaturas para reforçar as ações de combate ao crime e o policiamento ostensivo. Durante a entrega (realizada em 26 de maio), o prefeito Marcos Trad, ressaltou o compromisso do governador em priorizar a segurança pública e revelou que essa é a primeira vez na história que a Capital recebe mais de cem viaturas de uma só vez.

Todo esse investimento vem mostrando resultados. Dados do balanço realizado pela PMMS no primeiro quadrimestre de 2017 revelam que o número de homicídios caiu em mais de 40% na Capital. Até dezembro de 2018, serão realizadas reformas e modernização de delegacias, pelotões, presídios e Unidades Educacionais de Internação (Unei’s) de Mato Grosso do Sul. Os investimentos serão para a Polícia Militar, Polícia Civil, Corpo de Bombeiros, Departamento de Operações de Fronteira (DOF), Coordenadoria-Geral de Perícias (CGP), Superintendência de Assistência Socioeducativa (SAS) e Agência Estadual de Administração do Sistema Penitenciário (Agepen).

Educação é prioridade

A Rede Estadual de Ensino mantém 84 escolas em Campo Grande, com um total de 60 mil alunos, conforme dados do censo escolar 2015. Em 2016, o Governo de MS investiu R$ 11,5 milhões somente na Capital, para garantir uniformes, material didático, merenda e locais adequados para a prática do ensino.

Foram R$ 3 milhões em kits escolares, R$ 1,2 milhão em uniformes, R$ 1,9 milhão em merenda escolar e R$ 5,5 milhões em obras de infraestrutura. Com o recurso o governo inaugurou a reforma e ampliação da Escola Estadual Professora Célia Maria Naglis e do Centro de Formação Professora Maria de Lourdes Widal Roma, ambos no bairro Moreninhas.

Reinaldo Azambuja garantiu ainda, no segundo semestre de 2015, a conclusão das obras da Universidade Estadual de Mato Grosso do Sul (Uems), que passou a funcionar em prédio próprio, construído com recursos de quase R$ 42 milhões. O governador já disponibilizou mais de R$ 7 milhões para a instituição aplicar em projetos de pesquisa e extensão, por meio da Fundação de Apoio ao Desenvolvimento do Ensino, Ciência e Tecnologia do Estado de Mato Grosso do Sul (Fundect).

Mais de duas mil moradias

As habitações populares para Campo Grande também foram priorizadas na gestão de Reinaldo Azambuja. Com recursos que garantiram a construção de 2.066 moradias, foram entregues os residenciais Rui Pimental I e II e Jardim Canguru e os já inaugurados Celina Jallad 1,2,3,4,5,6,7,8 e Chácara Buriti. Para a execução das obras, o Governo aplicou R$ 10,4 milhões de contrapartida em recursos próprios, aos programas habitacionais.

Atualmente, Campo Grande figura como 7ª melhor cidade do Brasil para se viver. O levantamento Desafios da Gestão Municipal, divulgado pela consultoria Macroplan no fim de abril de 2017. Por categoria, a Cidade Morena figura entre as quatro melhores do País em Segurança, a 9ª em Educação e Cultura, e conquistou a 6ª posição na categoria Saúde. Em Saneamento e Sustentabilidade, Campo Grande também figura entre as dez melhores, na 8ª colocação do ranking.

Para a análise, o estudo leva em conta dados do Instituto Nacional de Estudos e Pesquisas Educacionais Anísio Teixeira (Inep), IBGE, Sistema Único de Saúde (Data SUS) e Sistema Nacional de Informações sobre Saneamento (SINS) e utilizou como referência um índice que reúne 16 indicadores de áreas com educação e cultura, saúde, segurança e saneamento e sustentabilidade.