Eldorado encerra 2017 com EBITDA de R$ 2,2 bilhões

No período a companhia teve lucro líquido de R$ 713 milhões, 149% a mais do que em 2016

A Eldorado Brasil (www.eldoradobrasil.com.br) encerrou 2017 como o melhor ano operacional e financeiro de sua história. O lucro antes de juros, impostos, depreciação e amortização (EBITDA na sigla em inglês) foi de R$ 2,221 bilhões, com margem de 66% – a maior do setor. O lucro líquido do período chegou a R$ 713 milhões, resultado 2,5 vezes maior do que em 2016.

O índice de Dívida Líquida / EBITDA foi reduzido em 1/3, passando de 4,96x em 2016 para 3,36x no final do ano.

O volume de produção em 2017 foi 4% superior a 2016 chegando a 1,708 milhão de toneladas de celulose, 14% superior à capacidade nominal da planta que fica em Três Lagoas (MS), e estabeleceu um novo recorde operacional. As vendas acompanharam o ritmo de crescimento e tiveram recorde com a comercialização de 1,721 milhão de toneladas, 3% a mais que no ano anterior. Já a receita líquida foi de R$ 3,3 bilhões, um resultado 13% superior ao registrado em 2016.

As vendas continuaram com foco na exportação, tendo a Ásia como destino principal de sua celulose com 43% do volume de vendas. A Europa, América Latina (incluindo o Brasil) e América do Norte, representam respectivamente 31%, 16% e 10% das vendas.

As iniciativas da companhia na área florestal estiveram focadas no aumento da eficiência e redução de custos, com destaque para o aumento substancial de utilização de madeira proveniente de plantios próprios de alta produtividade e redução de 56 km na distância média de transporte de madeira entre as florestas e a fábrica, resultando em ganho de eficiência na operação.

Sobre o mercado de celulose a companhia acredita que a demanda permanecerá aquecida, suportando os patamares de preços estabelecidos pela indústria e consequentemente permitindo que a companhia apresente uma geração robusta de caixa nos próximos anos.