Durante sessão, Madson usa tribuna e ressalta sobre impacto do movimento dos caminhoneiros em Dourados

Madson acompanhou a paralisação no distrito de Vila Vargas – Foto: Thiago Morais

O vereador Madson Valente (DEM) usou a tribuna livre para falar sobre a o movimento realizado pelos caminhoneiros em todo país, e o impacto da greve em Dourados que acontece desde quinta-feira (24) com falta de combustível e gás de cozinha entre outros. De acordo com o parlamentar, que prestou solidariedade à causa, lembrou que em Vila Vargas há um ponto de manifestação.

“É legítima a luta destes profissionais que estão submetidos há uma excessiva carga tributária, não sendo capazes de conseguir sobreviver nesta atividade”, explicou.

Segundo Madson, um país onde o transporte de cargas rodoviárias representa aproximadamente 70% do volume de transportes de mercadorias deveria ter uma política justa de incentivos para garantir condições destes profissionais, para trabalharem e terem condições dignas.

“Somos de um município que se destaca por ser um dos maiores celeiros deste país, grande produção de alimentos e sabemos muito bem que os serviços de transportes se complementam com atividade da agricultura, pecuária e agroindústria. Portanto estes profissionais são imprescindíveis para o escoamento de nossa produção, porém somos testemunhas também das dificuldades enfrentadas pelos nossos irmãos caminhoneiros”, salientou o vereador.

“Então nada mais justo que prestar nossa solidariedade para estes profissionais, que infelizmente não estão encontrando por parte do Governo ações que possam evoluir para amenizar os evidentes prejuízos que estão expostos, tais como elevado preço do diesel, pedágios, falta de condições das estradas e segurança fragilizada”, disse Madson.

O vereador acredita que através das manifestações dos caminhoneiros a população tenha demonstrado que o país precisa ser repensado, que haja políticas públicas capazes de garantir maior tranquilidade aos brasileiros, pois há um clima de muita insegurança e um claro temor pelos rumos que o país poderá chegar.