‘Dourados não pode parar por causa das eleições’, diz Marçal

Educadores voltaram a protestar na Câmara Municipal de Dourados – Foto: Assessoria

Ao ocupar a tribuna da Câmara Municipal na noite desta segunda-feira (25), o vereador Marçal Filho (PSDB) criticou a postura da administração municipal de querer agendar compromissos somente após as eleições de outubro. “A cidade não pode parar por causa das eleições”, criticou.

O parlamentar foi taxativo ao questionar uma reunião agendada entre educadores aprovados em concurso público e a prefeita para 10 de outubro. Ontem, professores voltaram a manifestar durante sessão com cartazes e apitos. Eles prometem continuar com protestos até serem convocados.

Próximo ao fim da sessão, o líder da prefeita na Câmara, vereador Junior Rodrigues, informou que recebeu um comunicado da prefeita Délia Razuk que por causa do processo de eleições para deputados, senadores, governadores e presidente, uma conversa só seria agendada para 10 de outubro.

Marçal Filho criticou o anúncio e lembrou que haverá segundo turno. “Se a desculpa é as eleições, essa reunião será realizada em novembro, porque no final de outubro haverá o segundo turno”, disse o vereador, questionando a manobra da administração em não receber os educadores.

Pelo que foi proposto pela administração municipal, em outubro haveria apenas uma conversa. O concurso público foi realizado em 2016 e vence em dezembro deste ano. Os educadores querem a prorrogação do certame, mas até agora a prefeitura não se manifestou.

Para Marçal, como se trata apenas de um diálogo, a prefeita tem que receber os educadores o quanto antes. “Se é apenas uma conversa, que faça essa agenda com os profissionais da educação o mais rápido possível”, propôs o parlamentar.

Marçal tem defendido a convocação imediata dos aprovados em concurso, da educação e de outras áreas que aguaram há dois anos serem chamados. Faltam educadores na rede municipal de ensino em Dourados e há Ceim inaugurado e com portas fechadas, motivos pelos quais o vereador tem cobrado a administração convocar os aprovados em concurso.