Secretário Carlos Dobes com a senadora Soraya Thronicke, durante audiência em Brasilia – Divulgação

Projetos de integração econômica, melhoria nas condições de acessibilidade, fomento ao agronegócio e de desenvolvimento, voltados à melhoria das condições de vida das pessoas, a partir de uma visão futurista de infraestrutura, foram apresentados, em Brasília, no começo deste mês, pelo secretário municipal de Planejamento de Dourados, Carlos Dobes Vieira, em agenda com a senadora Soraya Thronicke, com o presidente do Incra, general João Carlos de Jesus Corrêa e o gerente operacional da ANTT (Agência Nacional de Transportes Terrestres), Marcelo Alcides dos Santos. Dobes esteve ainda com o superintendente da Sudeco (Superintendência de Desenvolvimento do Centro-Oeste), Marcos Henrique Derzi Wasilewski.

Com a senadora Soraya, que já se manifestou comprometida com os interesses de Dourados, o secretário tratou de projetos que visam integrar as aldeias da cidade com a área urbana do Município. Anteprojeto mostrando como a área de restrição urbana existente entre a Reserva Indígena e a cidade pode se transformar em área de integração, ligando o Anel Norte e estimulando o comércio e a produção daquela comunidade foi mostrado por Dobes, e levado também ao Incra e para a Funai em Brasília.

“Para isso, pleiteamos recursos para pavimentar, com cascalho, as vias internas e a principal via de ligação das aldeias Jaguapiru e Bororó, numa extensão de 50 km, proporcionado melhor infraestrutura e mobilidade. Só a via principal representa 12 km e esse projeto pode vir a ser um piloto inédito de ação social, considerando o fato de que temos uma particularidade em Dourados, uma das maiores aldeias indígenas do Brasil colada com a cidade, onde o convívio diário favorece a essa integração”, defendeu Carlos Dobes.

Ligação viária

A senadora já se comprometeu, inclusive, em viabilizar duas emendas, uma no valor de R$ 3 milhões, para recapeamento de vias urbanas e outra de R$ 500 mil, com o qual o Município pretende contratar empresa para a revisão do Plano Diretor, editado em 2004 e que deveria passar por ajustes a cada quatro anos. “Faz 15 anos [em 2019] e ainda não promovemos nenhuma atualização nas principais leis que compõem o Plano, como as de zoneamento, uso e ocupação do solo, sistema viário, por exemplo, considerando a expansão da cidade nos últimos anos”, comentou Dobes.

Segundo o secretário, também foram pleiteados, junto à ANTT, recursos para a integração de trechos do Anel Viário Sul com as rodovias federais BR 163 e a estadual MS 156. Uma das etapas, de 5 km, pretende fazer essa integração das rodovias enquanto não ocorrem as obras de ligação do distrito de Indápolis à BR 163 e da rodovia federal ao município de Laguna Carapã. “Esses assuntos, inclusive, nós pretendemos discutir agora na revisão do contrato da CCR [concessionária da BR 163] com o Governo para agilizar e inserir essas etapas no programa de obras”, anunciou Dobes.

Na ANTT, ainda, com o gerente de Fiscalização e Controle Operacional de Rodovias, Marcelo Alcides dos Santos, o secretário de Planejamento da Prefeitura de Dourados tratou da revisão das áreas de bloqueio promovidas pelas obras da CCR em bairros da cidade. Como primeiro resultado, os moradores do bairro Kairós e imediações, na região do Campo Dourado, vão dispor de abertura para sair da rotatória do Trevo da Bandeira no sentido de chegada aos loteamentos, pela BR 463.