O diretor financeiro da prefeitura, Jorge Rodrigues de Castro, preso na semana passada na terceira fase da Operação Pregão, que investiga um esquema de corrupção montado no setor de licitações da Prefeitura de Dourados, já deixou a cela da 1ª Delegacia de Polícia Civil em Dourados.

Sua liberdade foi decretada após o juiz Luiz Alberto de Moura Filho, da 1ª. Vara Criminal, comprovar que a pena a ele imputada, de autorizar pagamento de nota de empenho, fora feita depois que o serviço realizado havia sido atestado pelos então chefe do Departamento de Licitações da Prefeitura, Anilton Garcia de Souza e o secretário de Fazenda, João Fava Neto.

João Fava e Anilton Garcia são investigados na Operação ‘Pregão’, desencadeada pela Polícia Federal como parte das investigações do Ministério Público Estadual que apura irregularidades cometidas em contratos de licitações e fraudes na contratação de empresas pelo município. Fava está preso em Campo Grande e Anilton está detido na PED (Penitenciária Estadual de Dourados).

Jorge Castro anexou ao pedido de liberdade acatado pelo juiz da 1ª. Vara Criminal cópias dos pedidos de empenho referentes ao procedimento licitatório em que era responsabilizado por prática criminal, e que autorizou pagamento de serviços que teriam sido executados pela empresa L&A Eletrônicos Comercial e Refrigeração LTDA-EPP, conforme atestaram os investigados Anilton Garcia de Souza e João Fava Neto.

A decisão que decretou a prisão preventiva de Jorge Castro se fundamentou basicamente nesses empenhos, conforme consta do despacho que deliberou sobre a soltura do servidor. (Com Douranews)