Diagnóstico da horticultura orgânica é tema de reuniões

O projeto PROHORTA da Embrapa Agropecuária Oeste, que enfoca horticultura agroecológica, com tema “da terra à mesa do consumidor no Estado de Mato Grosso do Sul”, avança para uma nova etapa no mês de junho. Ao longo desse mês serão realizadas quatro reuniões, nos municípios participantes do projeto de pesquisa, com o objetivo de identificar os principais entraves na produção de hortaliças orgânicas nas localidades.

“Nessas reuniões vamos utilizar a metodologia do Diagnóstico Rápido Participativo (DRP). Para que essa etapa do projeto seja realizada com qualidade é preciso a participação expressiva de agricultores, de fornecedores de insumos, representantes das instituições afins, ou seja, dos diversos profissionais envolvidos com o circuito produtivo das hortaliças”, explica o pesquisador da Embrapa Agropecuária Oeste e coordenador do PROHORTA, Ivo de Sá Motta. Ivo salienta ainda que os agricultores interessados em realizar a transição para o sistema orgânico de produção de hortaliças, também são bem-vindos as reuniões.

Confira o calendário completo, com datas, horário e localização das reuniões que acontecerão em Dourados, Glória de Dourados, Nova Andradina e Ivinhema.

Programação:

DOURADOS –  8/6 (quinta-feira)

Horário: 8:00
Local: Vila Vargas – Salão Paroquial da Igreja Católica Senhor Bom Jesus

GLÓRIA DE DOURADOS – 13/6 (terça-feira)

Horário: 8:00
Local: Sede DEFAP – Departamento de Fomento Agropecuário (Parque de Exposições Manoel Alves de Azevedo)

NOVA ANDRADINA –  20/6 (terça-feira)

Horário: 13:00
Local: Assentamento Santa Olga – Sede da UFGD

IVINHEMA – 27/6 (terça-feira)

Horário: 13:00
Local: Secretaria Municipal de Agricultura

PROHORTA – O PROHORTA coordenado pela Embrapa Agropecuária Oeste, dentro de uma integração interinstitucional, pretende gerar soluções tecnológicas para a consolidação da produção agroecológica de hortaliças nas condições de Mato Grosso do Sul. O projeto PROHORTA foi aprovado junto ao Portifólio Sistemas de Base Ecológica, junto ao Macroprograma 6 da Embrapa que contempla o público da agricultura familiar.

“A estratégia de ação deste projeto prevê a pesquisa participativa, em que os agricultores tem uma participação ativa no processo de pesquisa e transferência de tecnologias. Para tanto, em cada comunidade trabalhada, será identificado e convidado um produtor experimentador (colaborador)”, explica Ivo.

As Unidades de Referência (Dourados, Ivinhema, Glória de Dourados e Nova Andradina) serão estabelecidas em áreas de agricultores colaboradores ou em área experimental de instituição de ensino local quando for mais conveniente em função da estrutura existente (Universidade, Instituto Federal ou Escola Técnica Agrícola).

Para Ivo, o projeto deverá no curto prazo contribuir com o fortalecimento do mercado local. “Espera-se contribuir com o desenvolvimento e a organização dos agricultores familiares e da produção em canais curtos (Feiras de Produtores, PAA, PNAE e cestas) assim como a consolidação do processo de certificação. Na medida que os produtores identificarem oportunidades e cultivos que se destacam na região, poderão ser viabilizadas opções para “exportação” para outras regiões”, conclui Ivo.