Detran-MS vai investir R$ 20 milhões para melhorar atendimento à população

Rudel Trindade anunciou investimentos durante coletiva – Foto: Edemir Rodrigues

O Departamento Estadual de Trânsito (Detran-MS) vai investir R$ 20 milhões em dois anos na reforma e construção de novas agências no Estado. A informação é do novo diretor-presidente do órgão, Rudel Trindade e, segundo ele, os investimentos têm o objetivo de garantir excelência no atendimento à população.

Durante entrevista coletiva à imprensa nesta quinta-feira (12.03), ele disse que serão aplicados R$ 2,1 milhões na melhoria e modernização da sinalização. Rudel Trindade anunciou que a sede, localizada na Capital, passará por uma reestruturação emergencial e Três Lagoas vai ganhar uma nova agência.

“Estamos assumindo aqui um desafio muito grande, embora esteja voltando para minha área, que sempre foi o transporte e o trânsito, é preciso levar em conta que o Estado cresceu muito. Hoje temos uma frota aproximada de 1,6 milhão de veículos e 1,1 milhão de habilitados. Entendemos que é preciso tratar o nosso cliente de modo digno e eficiente e essa vai ser nossa meta”, afirmou.

Rudel lembrou das questões que considera como emergenciais a serem resolvidas. “A primeira delas é a necessidade de recapeamento das pistas de testes e do Detranzinho”, afirmou. As outras são os pátios lotados e a necessidade de melhorias nas agências.

O presidente salientou que no início da semana foi escolhida a empresa que irá cuidar do recapeamento de 3.343,6 metros quadrados da pista de teste e 1.691,3 metros quadrados do Detranzinho. A Trento Soluções em Construção Ltda será responsável pelo serviço orçado em R$ 320,4 mil. Rudel garantiu que os trabalhos deverão começar nos próximos dias e que deverá estar pronto no prazo máximo de 60 dias.

Sobre a lotação de pátios, ele lembrou que no ano passado eram 50 mil veículos apreendidos em todo o Mato Grosso do Sul, volume esse que já caiu para pelo menos 30 mil com o início da Operação Limpa Pátio, dos quais, doze mil já estão vendidos e aguardando o fim dos trâmites burocráticos para serem retirados.

“Tínhamos veículos que estavam no pátio há mais de 15 anos. Isso gera um transtorno muito grande para o órgão e para todos”, explicou. Para ele, uma saída pode ser aumentar o número de empresas credenciadas e que tratam do aproveitamento da sucata, que recolham esses volumes dos pátios do interior. “Do jeito que está, estamos perdendo dinheiro e criando foco de mosquito da dengue, mas eu acredito que em seis meses haja uma solução organizada para esse assunto”, comentou.

Alerta

Trindade também falou com a imprensa sobre um transtorno que pode vir a ocorrer com cerca de três mil veículos que estão circulando de maneira irregular, pois pagaram o licenciamento e não procuraram as estampadoras para trocar a placa conforme a necessidade. “Cidadão fez o licenciamento e não procurou estampadora para trocar a placa. Agora, está andado com documento de placa nova e circulando com a placa antiga. Se ele for parado pela fiscalização vai ter o veículo apreendido, será multado em R$ 130 e terá pontos na carteira. Queremos fazer esse alerta para as pessoas que se encontram nessa situação que possam regularizar suas pendências”, afirmou Rudel Trindade.

Formação de Condutores

Durante o encontro com a imprensa, a diretora de Educação para o Trânsito, Elijane Coelho, apresentou os índices de aprovação dos CFC´s (Centro de Formação de Condutores), que passam a constar no site do Detran-MS.

A iniciativa do Departamento em tornar pública a média das autoescolas vem para cumprir a Portaria de número 67, divulgada no final do mês de janeiro, sobre a regulamentação e funcionamento dos Centros de Formação de Condutores.

Para se manter ativo no mercado, cada CFC deve aprovar 60% dos seus alunos nos exames para a emissão de CNH (Carteira Nacional de Habilitação), seja teórico ou prático.

De acordo com a diretora, é importante ressaltar que o índice de aprovação das escolas e as medidas de acompanhamento podem implicar em penalidades dentro de um ano, podendo culminar na não renovação de seu credenciamento.