Desalento na caminhada, por João Baptista Herkenhoff

João Baptista Herkenhoff é Juiz de Direito aposentado (ES) e escritor – Divulgação

Em algumas ocasiões, nesta trajetória que já ultrapassou oito décadas, eu me senti desalentado.

Que força misteriosa impediu que o jovem juiz entregasse os pontos?

Que luz brilhou no meio da escuridão?

Qual foi a mão que segurou sua mão quando, à face de alguns desembargadores, era considerado benevolente com bandidos?

Ah sim, eu me lembro.

A mão do Anjo, a mão de Deus, a mão que revigorou todas as forças… foi a mão de um ex-preso.

Esse ex-preso entregou ao jovem juiz a Medalha de Honra ao Mérito que havia recebido na empresa onde trabalhava.

“Doutor, esta medalha é sua. Se naquele dia em que o senhor me libertou, eu tivesse continuado preso, eu hoje seria um bandido.

Mas o senhor confiou em mim, apostou na minha recuperação, e por este motivo ESTA MEDALHA É SUA”.