Bombeiros e moradores trabalham juntos no resgate de vítimas de prédios que desabaram na comunidade da Muzema, na Zona Oeste do Rio — Foto: Reprodução/ TV Globo

Dois prédios desabaram na Muzema, comunidade na Zona Oeste do Rio, na manhã desta sexta-feira (12). De acordo com os bombeiros, duas pessoas morreram e outras duas ficaram feridas. Quinze pessoas seguem desaparecidas.

Os imóveis teriam quatro andares, segundo as primeiras informações. Dezenas de pessoas e bombeiros vasculham os escombros para tentar localizar vítimas.

A Prefeitura do Rio de Janeiro informou que as construções que desabaram são ilegais. Um homem chegou a ser resgatado e levado sobre uma porta, usada como uma maca.

Resumo:

  • Dois prédios de cerca de quatro andares desabaram
  • Duas pessoas morreram
  • Duas pessoas feridas
  • Quinze desaparecidos
  • Prefeitura informou que construções na região são irregulares
  • Comunidade da Muzema é controlada por milicianos
  • Região foi muito afetada pelo temporal do início da semana

O desabamento aconteceu por volta das 7h desta sexta-feira (12). Uma das construções tem quatro andares e outra tem três. A área de isolamento foi ampliada pelos bombeiros, que consideram que outros prédios da região podem ir abaixo. Há um forte cheiro de gás.

Segundo o repórter Genilson Araújo, há cerca de 60 prédios em construção na região. Reportagem do RJ2 mostrou que os criminosos atuam na construção e venda de imóveis irregulares.

Uma mulher, que se identificou como Érica, contou que tentava encontrar a mãe nos escombros. O padrasto conseguiu sair prédio.

“Meu padrasto está vindo pra cá, mas a minha mãe está gritando ali. Os moradores que estão ajudando foram até ali e ouviram uma senhora gritar exatamente no quarto dela”, disse a moradora.

De acordo com ela, os moradores estavam preocupados com as consequências da chuva e as construções que não paravam.

“Eles construindo sem fim, sem parar. Uma construção atrás da outra, uma loucura. Era retroescavadeira, explosões constantes. Só querem construir e vender”, afirmou a moradora.

Edvaldo, morador do primeiro andar do prédio, disse que teve que correr para conseguir escapar. Ele tem escoriações na perna.

“Eu estava no quarto, aí corri para a sala. Quando eu cheguei lá, desmoronou tudo em cima de mim. Foi muito rápido. Passou um pó branco, muita poeira”, destacou Edvaldo.

A Muzema foi uma das áreas mais atingidas pelo temporal que caiu no Rio. A cidade está em estágio de crise desde segunda-feira (8). O desabamento aconteceu em uma das áreas mais elevadas da comunidade, perto da mata.

Na manhã de quinta-feira (11), a principal avenida de ligação do bairro, que também dá acesso ao Rio das Pedras, continuava alagada e interditada.

Outro morador, chamado Ronaldo, contou que as construções são novas.

“De repente foi um estrondo, foi tudo de uma vez. Do nada começou a desmoronar”, explicou o morador.

Do G1