Daniela propõe debate sobre distribuição de Kits contra Covid-19 em Dourados em seminário on-line

Live será na próxima segunda-feira, 6, às 14h no canal do YouTube da Câmara Municipal e terá participação do médico toxicologista e nutrólogo Sandro Benites

Seminário on-line é proposição da vereadora Daniela Hall – Foto: Thiago Morais

Sob proposição da vereadora Daniela Hall (PSD), a Câmara de Dourados realizará seminário on-line para discutir a distribuição de kits de medicamentos (Hidroxicloroquina, Azitromicina, Ivermectina, Prednisona, Zinco e Vitamina D) para o tratamento precoce da Covid-19 em Dourados. A live será transmitida na próxima segunda-feira, 06, às 14h, pelo canal do YouTube e site da Câmara Municipal, e ainda, nas mídias sociais da parlamentar.

O convidado é o médico toxicologista e nutrólogo Sandro Benites, coordenador do Centro Integrado de Vigilância Toxicológica (Civitox). Ele faz parte de um grupo composto por cerca de 200 médicos que, recentemente, orientou o prefeito Marquinhos Trad, de Campo Grande, a adotar um protocolo que inclui a prescrição desses medicamentos para tratamento da doença em sua fase inicial, com o intuito de evitar a doença se agrave e ocasione mortes.

Segundo Daniela Hall estão sendo convidados médicos de Dourados e toda a sociedade civil para acompanhar a explanação. “Todos os dias recebo inúmeras mensagens vindas da população douradense questionando o porquê que a Prefeitura de Dourados ainda não adotou protocolo de distribuição desses medicamentos, à exemplo do que tem feito outras prefeituras. Então, existe a necessidade de se discutir esse assunto até para levar informações à população”, explica.

Conforme a vereadora, oito capitais já adotaram o protocolo, seis estão discutindo e 13 ainda não debateram o assunto ou já recusaram. Daniela afirma que a categoria defende que a Ivermectina, remédio para infecção por parasita, também usado para verme, seja usado de forma preventiva para casos confirmados e para profissionais de saúde que estão na linha de frente. Já a hidroxicloroquina, seria usada na fase inicial de quem apresenta sintomas. A Vitamina D e o Zinco são utilizados para o aumento da imunidade. “Importante destacar ainda que a possível adoção desse protocolo pela Prefeitura não representa a cura da doença, mas sim uma forma de ajudar o trabalho dos médicos evitando que a doença se agrave”, explica.

A parlamentar ressalta que, para a utilização do kit, há necessidade de anuência, bem como o Ministério da Saúde recomenda, por parte do paciente, por parte do médico. “A prescrição de qualquer medicamento é a capacidade médica”, destaca.

Em Campo Grande, a O Poder Executivo pretende adquirir cerca de 1,3 milhão de comprimidos de hidroxicloroquina e Ivermectina para serem disponibilizados para o tratamento inicial de casos de Covid-19 e até de suspeitos. Segundo a Secretaria Municipal de Saúde (Sesau), esses medicamentos podem ser adquiridos por meio de parcerias, e uma delas deve ser com o Laboratório do Exército.

Por outro lado última manifestação na Sociedade Brasileira de Infectologia, junto à Sociedade Brasileira de Pneumologia e pela Associação Médica Intensiva Brasileira, orienta para “não utilizar hidroxicloroquina ou cloroquina de rotina no tratamento da Covid-19 (recomendação fraca, nível de evidência baixo) ”

Serviço

A live será transmitida às 14h no canal do YouTube e site da Câmara Municipal, além das mídias sociais da vereadora: @Vereadoradaniela (Facebook). Informações no WhatsApp: (67) 99174-4554.

DEIXE UM COMENTÁRIO/RESPOSTA

Por favor, digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui