O Corinthians manifestou-se publicamente na manhã desta quarta-feira a respeito da situação do zagueiro paraguaio Fabián Balbuena. Com renovação emperrada desde setembro do ano passado, o defensor reclamou de “notícias falsas” da imprensa ao ver matérias divulgando que ele pediu 4 milhões de euros (R$ 16 milhões) para estender seu vínculo para o clube. Presente à sala de imprensa do CT Joaquim Grava, o diretor de futebol, Duílio Monteiro Alves, endossou as palavras do atleta, mas avisou que o Alvinegro não fará investimentos acima do esperado para mantê-lo no elenco.

“O contrato dele termina no fim do ano, desde que chegamos aqui já procuramos empresário e jogador para essa renovação. Isso já vinha sendo feito desde setembro do ano passado. Excelente jogador, mas tem que ter os pés no chão e trabalhar com números viáveis”, avaliou o dirigente, sem querer detalhar qual seria a real pedida do atleta. Ele assegurou, porém, que não houve conversa nas bases citadas.

“Esse valor de 4 milhões de euros que não é verdade. O Corinthians está fazendo todos os esforços para que ele fique. Temos que ter tranquilidade para não dar o passo maior que a perna”, continuou o diretor, que herdou essa responsabilidade após a gestão anterior ficar quase 4 meses à espera de uma resposta dos empresários.

Visto como um dos principais atletas do elenco, Balbuena tem contrato até dezembro deste ano e, caso queira, pode assinar um pré-acordo com outro clube ainda em julho. O próprio jogador, no entanto, já ponderou que nunca faria isso por respeito ao clube e aos profissionais da diretoria.

Preocupa o Alvinegro, no entanto, o fato de ter apresentado uma proposta ao atleta em setembro do ano passado, não ter conseguido contato com os empresários por cerca de quatro meses, e ficar à espera de uma contraproposta oficial do jogador. Com medo que a situação se torne outra “novela”, os corintianos esperam definir um novo vínculo nas próximas duas semanas para o zagueiro.

Caso não obtenha sucesso, porém, o Timão já se adiantou e foi buscar no mercado o ex-Ponte Preta Marllon, que tinha direitos econômicos vinculados ao Cianorte. Oitavo nome para o setor, ele é visto como um atleta experiente para, caso haja a necessidade, assumir a função de Balbuena.

Da Gazeta Esportiva