O Corinthians foi melhor em um jogo de falhas individuais na tarde deste domingo, na Arena, contra o Santos, pela partida de ida da semifinal do Campeonato Paulista. Contando com um gol de Manoel e outro de Clayson, o time do Parque São Jorge só não teve uma vantagem maior porque Cássio saiu muito mal do gol no lance em que Derlis anotou o gol solitário dos visitantes. A disputa segue bastante aberta.

A decisão será apenas na segunda-feira, dia 8 de abril, no estádio do Pacaembu. Como a Vila Belmiro está em reforma, o Peixe escolheu o estádio municipal paulistano para exercer o seu mando e vai precisar de uma vitória por um gol de diferença para levar aos pênaltis. Dois gols de diferença ou mais dão a vaga ao time da Baixada, enquanto o Timão joga por todos os outros resultados.

Ambos os times têm compromissos no meio da semana, porém. Os comandados de Fábio Carille seguem em uma sequência caseira e encaram a volta da terceira fase da Copa do Brasil, frente ao Ceará, na quarta-feira, na Arena. Um dia depois, Sampaoli e seu elenco visitam o Atlético-GO, pela ida da terceira fase da mesma competição.

Corinthians aproveita melhor as falhas

O jogo poderia ter começado praticamente 1 a 0 para o Corinthians, mas o ritmo foi tão alucinante que o 1 a 1 já estava no placar aos sete minutos da etapa inicial. O primeiro gol saiu em cruzamento de Sornoza, batendo falta pelo lado esquerdo do ataque, que achou Manoel livre entre os zagueiros. O desvio foi leve, mas o suficiente para superar Vanderlei, que mal se mexeu. Sem encostar na bola, porém, o Timão viu o Peixe ganhar escanteio, Jean Mota bater e Cássio falhar feio, espalmando para Derlis cabecear ao gol vazio.

O empate tirou o que poderia ser um ritmo avassalador do Timão, aproveitando a empolgação da torcida. Até os 30 minutos, apenas um chute forte de Jean Mota e uma cabeçada torta de Henrique foram lances de perigo. Em um lance sem grande esforços dos corintianos, porém, Luiz Felipe afastou mal a bola em duas oportunidades e deixou Clayson no mano a mano com Victor Ferraz. Mérito do corintiano de cortar para dentro e acertar um chute rasteiro, sem chances para Vanderlei.

O gol animou os donos da casa, que tentaram aproveitar para ampliar a vantagem antes do intervalo. Em outro bom lance de Clayson, o atacante limpou dois adversários e cruzou na área, a zaga afastou e Fagner chutou para o que seria o terceiro gol. Vanderlei, porém, já havia aberto mão de fazer a defesa para socorrer Felipe Aguilar, desacordado após choque com Danilo Avelar. O processo teve até entrada de ambulância no gramado para retirada do atleta, esfriando o ânimo até o fim da primeira etapa.

Muita disputa, menos bola jogada

O segundo tempo da partida prometia um outro duelo com alta intensidade, mas, em vez da bola jogada por baixo, a etapa final mostrou um jogo muito mais físico. Sampaoli, que optou pela entrada de Rodrygo na vaga de Cueva, viu seu time sofrer para impor o seu ritmo de marcação. Sem trocar passes, o Timão apostou na ligação direta para Gustagol e Vagner Love, normalmente no mano a mano com os zagueiros.

A estratégia deu certo durante cerca de meia hora, com os atacantes levando vantagem sempre que a bola chegava no ataque, mas pecando na hora da finalização. Love chutou uma vez por cima do gol. Depois, Clayson tentou de bicicleta, Vanderlei espalmou e conseguiu afastar no limite antes de Love concluir. O domínio permaneceu até as substituições de Carille, que mandou a campo Pedrinho, Richard e Vital.

Com jogadores mais leves, o Peixe viu seu espaço aumentar e o Corinthians recuar. Soteldo entrou para dar mais velocidade e o Peixe pressionou nos minutos finais, com escanteios e seguidas bolas alçadas na área. Rodrygo, em bom lance, quase achou Derlis no meio da área, mas Cássio assegurou o triunfo corintiano.

Ficha Técnica
Corinthians 2 x 1 Santos

Local: Arena Corinthians, em São Paulo (SP)
Data: 31 de março de 2019, domingo
Horário: 16h00 (de Brasília)
Árbitro: Vinícius Gonçalves Dias Araújo
Assistentes: Anderson José de Moraes Coelho e Bruno Salgado Rizo
VAR: Rodrigo Guarizo, auxiliado por Fabrício de Moura e Thiago Peixoto
Público: 39.919 pagantes
Renda: R$ 2.467.185,50
Cartões amarelos: Sornoza (COR); Alison (SAN)
Gols:
CORINTHIANS: Manoel, aos 3 minutos do 1º Tempo, e Clayson, aos 31 minutos do 1º Tempo
SANTOS: Derlis, aos 7 minutos do 1º Tempo

CORINTHIANS: Cássio; Fagner, Manoel, Henrique e Danilo Avelar; Ralf, Júnior Urso e Sornoza (Richard); Vagner Love (Pedrinho), Clayson (Mateus Vital) e Gustagol
Técnico: Fábio Carille

SANTOS: Vanderlei; Victor Ferraz, Felipe Aguilar (Lucas Veríssimo)d, Luiz Felipe (Lucas Veríssimo) e Felipe Jonathan; Alison, Pituca, Sánchez (Soteldo) e Jean Mota; Cueva (Rodrygo) e Derlis
Técnico: Jorge Sampaoli

Da Gazeta Esportiva