Consciência Negra: Sindicato dos Bancários de Campo Grande realiza ato contra discriminação racial

Nesta sexta-feira (20), Dia Nacional da Consciência Negra, o Sindicato dos Bancários de Campo Grande-MS e Região (SEEBCG-MS) realiza um ato contra a discriminação racial, principalmente no setor financeiro.

A ação ocorre a partir das 9h, em frente à agência do Bradesco, que fica na Avenida Afonso Pena esquina com a Avenida Calógeras. Durante o ato, haverá uma apresentação cultural com música ao vivo com o sambista Chokito. Serão distribuídos informativos sobre o racismo estrutural e a desigualdade racial.

Os negros ainda são minoria nas instituições financeiras e representam apenas 28,2% da categoria bancária, enquanto que os pardos são 24,3% e os amarelos 2,8%. Os brancos predominam com 68,8%, conforme dados do Censo da Diversidade Bancária de 2019.

“Nós percebemos que há praticamente uma ausência de negros nos bancos. Isso precisa mudar. Esse ato é uma forma do sindicato reforçar uma luta antiga da categoria, que é a contratação de mais negros e negras”, afirma a presidente do SEEBCG-MS, Neide Rodrigues.

No Bradesco, apenas 26,4% dos empregados são negros; e na Caixa Econômica Federal, os negros representam 24,2% do total de funcionários, conforme dados da Confederação Nacional dos Trabalhadores do Ramo Financeiro (Contraf-CUT). Ainda considerando o setor financeiro, apenas 4,8% dos cargos de diretoria são ocupados por negros.

“Os negros precisam ter mais oportunidades no setor financeiro e em outras empresas. O racismo estrutural tem prejudicado a contratação e a ascensão desses profissionais. A luta contra essa realidade é um trabalho árduo e constante, e é preciso que os bancários e a sociedade em geral se conscientizem”, acrescenta a presidente do sindicato.

A população negra também é a que mais sofre com o desemprego durante a pandemia. No terceiro trimestre de 2020, a taxa de desemprego de pretos ficou em primeiro lugar, com 17,8%, de pardos, 15,4%, e de brancos, 10,4%, conforme os dados da Pnad Contínua do IBGE. Em relação à remuneração, os negros (pretos e pardos) receberam 56,2% a menos que os brancos.

O ato do Sindicato dos Bancários de Campo Grande desta sexta-feira (20) terá a participação ainda de outras entidades como a CUT e movimentos em defesa do povo negro.

DEIXE UM COMENTÁRIO/RESPOSTA

Por favor, digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.