Com pandemia, movimentação do Dia dos Namorados deve cair 43%

A pesquisa de intenção de consumo e comemoração para o Dia dos Namorados, elaborada pela parceria entre o Instituto de Pesquisa e Desenvolvimento da Fecomércio-MS (IPF-MS) e Sebrae-MS, aponta que, neste ano, essa data movimentará um montante 43% menor que em 2019. Os motivos para a redução da movimentação financeira vão além das quedas de consumo e também estão relacionados ao aumento do número de solteiros e às indecisões sobre o que comprar. Com isso, estima-se que se possa movimentar R$ 100,61 milhões na economia de Mato Grosso do Sul, destes, R$ 72,62 milhões com presentes e R$ 27,99 milhões destinados às comemorações.

“Há um conjunto de fatores que refletem na movimentação financeira da data, mas o recado importante ao empresário é que ele precisa estar atento às necessidades dos consumidores para que ofereçam serviços complementares. Pois mesmo se considerando que a maioria pretende entregar o presente pessoalmente, vale destacar que as recomendações ainda são de isolamento social. E por que não surpreender o namorado (a) ou esposo (a)? A entrega do presente na casa da pessoa, acrescida de uma surpresa, como uma carta e uma dobradura, por exemplo”, alerta o presidente do IPF-MS, Edison Araújo.

A economista do IPF-MS, Daniela Dias, lembra, que neste ano, o índice de pessoas que disseram estar solteiras é de 34%, 12 p.p. (pontos percentuais) acima de 2019. Dos que estão namorando, 62% informaram que vão comemorar a data, mas somente 20% pretendem ter algum tipo de gasto.

As compras em lojas físicas, mas utilizando de mecanismos a distância, correspondem a 70% das preferências, apesar disso, 95% optarão por entregar o presente pessoalmente. Já as compras pela internet somam 25%. “Com a pandemia, além do bom atendimento, as medidas sanitárias adotadas pelo estabelecimento passam a contar como critério para escolha, apontadas por 20% dos entrevistados”, observa Daniela.

Para a analista do Sebrae/MS, Vanessa Schmidt, duas atividades serão contempladas no Dia dos Namorados: alimentação e vendas de presentes, ou seja, o comércio. “É importante que o comerciante esteja atento: mesmo que o cliente não vá ao estabelecimento – já que muitos vão comemorar em casa – que personalize a entrega, seja com uma embalagem especial, algo que marque a data. Mesmo à distância, é preciso proporcionar uma experiência”, disse.

Quanto às lojas físicas, a pesquisa aponta que mais de 60% dos entrevistados irão priorizá-las, mesmo que não seja de forma presencial. “A loja deve mostrar as medidas de segurança adotadas neste momento de pandemia. Além disso, é válido pensar na personalização do presente, com entrega rápida e grátis, e a facilidade na forma de pagamento. O empresário deve aproveitar o momento para capital de giro, já que muitos clientes pretendem pagar à vista”, acrescenta.

Perfumes, roupas, cestas com flores ou chocolates ficam no topo das preferências e a maioria, 68%, informa pagamento à vista com dinheiro ou no débito. A pesquisa também traz o possível cenário sem a pandemia, e mostra que quanto às comemorações, não há grande alteração.

A pesquisa ouviu e 1.688 entre os dias 04 e 18 de maio e contempla os municípios de Bonito, Campo Grande, Corumbá/Ladário, Coxim, Dourados, Ponta Porã e Três Lagoas.

Confira aqui o estudo na íntegra.