Alan García era alvo de um mandado de prisão provisória de 10 dias – Foto: ANSA

O ex-presidente do Peru Alan García foi internado em estado grave em um hospital de Lima nesta quarta-feira (17), após ter tentado se suicidar para evitar sua prisão.

Segundo relato do jornal El Comercio, García disparou contra sua própria cabeça assim que a polícia chegou em sua casa, no distrito de Miraflores, para cumprir um mandado de detenção provisória de 10 dias.

O ex-presidente é investigado por suposto recebimento de propina da empreiteira brasileira Odebrecht, em um caso que diz respeito às obras da linha 1 do metrô de Lima, realizadas em seu segundo mandato (2006-2011).

García está internado no hospital Casimiro Ulloa e, de acordo com El Comercio, passa por uma cirurgia “de emergência”. Erasmo Reyna, advogado do ex-presidente, disse ao jornal que sua situação é “delicada”.

A ordem de prisão havia sido emitida na última terça-feira (16), no âmbito do inquérito que apura pagamentos ilegais da Odebrecht para a campanha de García em 2006. No fim do ano passado, o ex-mandatário chegou a pedir asilo ao Uruguai, mas a solicitação foi rejeitada.

Além dele, outros três ex-presidentes do Peru são investigados em casos envolvendo a Odebrecht: Alejandro Toledo (2001-2006), Ollanta Humala (2011-2016) e Pedro Pablo Kuczynski (2016-2018).

A principal figura da oposição, Keiko Fujimori, filha do ex-mandatário Alberto Fujimori, também é alvo de inquérito.

A própria empreiteira admitiu ter pagado US$ 29 milhões em propinas a governantes peruanos, incluindo García.

Da AnsaFlash