Com o ‘ano em jogo’, Inter recebe o Universidad de Chile no Beira-Rio

Inter encara o Universidad de Chile a partir das 19h15 desta terça-feira – Foto: Ricardo Duarte/Divulgação Inter

É apenas a sétima partida da temporada, logo no segundo mês do ano, com pouco mais de 30 dias de trabalho. Mas o Inter entra em campo para jogar por todo o seu 2020 no decorrer de 90 minutos a partir das 19h15 desta terça-feira. Não é exagero. O Colorado recebe a Universidad de Chile no Beira-Rio em duelo decisivo pelo jogo da volta da segunda fase da Libertadores.

A classificação é sinônimo de obrigação não apenas pelo significado puro e simples da vaga. A competição continental é prioridade máxima da equipe na temporada e reflete diretamente nas metas esportivas e financeiras traçadas pela diretoria colorada.

“Uma decisão importante, para mim, que amanhã (terça). Se tu me dá a escolher, é importantíssima para o nosso planejamento, para a história do clube. Temos que fazer por merecer. Temos uma obrigação”, diz D’Alessandro.

Caso passe pela La U, o Inter ainda terá de bater o vencedor do duelo entre Tolima-COL e Macará-EQU para se juntar a Grêmio, América de Cali e Universidad Católica no Grupo E. A equipe colombiana venceu o jogo de ida no Equador por 1 a 0 e tem vantagem na disputa.

O Colorado, por sua vez, precisa vencer a La U para avançar de fase. Um empate com gols dá a vaga aos chilenos. Um novo 0 a 0 leva a disputa para os pênaltis.

Respaldo ao trabalho

Com um mês de trabalho recém-completo, Eduardo Coudet enfrenta as primeiras grandes provas no comando do Inter nestes dois duelos contra a Universidad de Chile. As duas decisões são fieis da balança para dar sequência à ruptura de identidade pretendida pelo treinador para mudar o jeito de atuar da equipe.

Coudet trabalha desde janeiro para fazer do Inter uma equipe com postura agressiva e que tem a intensidade como mantra e norte de todos os esforços em campo. O técnico quer sua equipe com linhas adiantadas para pressionar o adversário e roubar a bola perto do gol. E também com objetividade e velocidade nas trocas de passe para valorizar a posse de bola com um estilo objetivo ao buscar o gol.

Até por isso, o treinador pode fazer uma mudança no meio-campo em relação à equipe do empate em 0 a 0 em Santiago. Gabriel Boschilia pode ganhar a vaga de Rodrigo Lindoso como meia central no 4-2-3-1 por ter característica mais ofensiva que o companheiro.

– Ele estava em atividade, com rodagem, com partidas. É um jogador dinâmico, tem se adaptado bem ao sistema. Não só ele. Mas necessitamos cada vez mais de todos – elogiou Coudet.

Mais tranquilidade para decisões

Campeão em 2010, atleta com mais jogos pelo Inter na Libertadores e no caminho para ser o argentino que mais atuou na competição. D’Alessandro conhece a Libertadores como poucos e faz de imediato um alerta para que a equipe mude a mentalidade para evitar sustos no duelo desta terça-feira. Não à toa.

D’Ale sabe que uma eliminação nesta terça-feira significaria uma pressão “desnecessária” sobre o trabalho de Eduardo Coudet logo no segundo mês do ano. E que poderia incidir também no próximo sábado, quando o Inter tem pela frente nada menos do que um Gre-Nal decisivo pela semifinal do primeiro turno do Gauchão.

– Tem que mudar a mentalidade. Não é a mesma coisa o Gauchão que a Libertadores. O futebol não te dá tempo. A gente não pode bobear, não pode dar brecha. Acontecer qualquer coisa, se a gente não estiver preparado, pode ser muito caro. O preço que a gente pode pagar por não estar focado é muito alto. Começaríamos o ano que poderia ser bom, já com uma pressão em cima de nós que pode existir. A gente tem que fazer de tudo para não existir –afirma o gringo.

Questão financeira

O planejamento orçamentário do Inter para 2020 prevê receitas atreladas diretamente ao sucesso nas competições de mata-mata. A estimativa feita pela diretoria é de contar ao menos com as premiações até as quartas de final da Libertadores.

Uma eliminação prematura nesta terça-feira faz secar –e muito – a fonte de receitas. Conforme a previsão orçamentária, a expectativa é receber um total de R$ 23 milhões chegando às quartas de final.

Além da frustração com uma possível queda ainda em fevereiro, o Inter deixará de receber US$ 3 milhões de dólares (R$ 12,96 milhões) apenas pelos três jogos como mandante na fase de grupos. Seriam mais US$ 1 milhão (R$ 4,32) pelas oitavas e US$ 1,5 milhão (R$ 6,48) pelas quartas de final.

Inter x Universidad de Chile – 2ª fase da Libertadores

  • Local:Beira-Rio, em Porto Alegre
  • Data e horário: terça-feira (11), às 19h15 (de Brasília).
  • Escalação provável do Inter:Marcelo Lomba; Rodinei, Rodrigo Moledo, Víctor Cuesta e Moisés; Musto, Edenílson, Patrick e Boschilia (Rodrigo Lindoso ou Thiago Galhardo); D’Alessandro e Paolo Guerrero
  • Escalação provável da Universidad de Chile:De Paul (Cristóbal Campos); Matías Rodríguez, Carrasco, Del Pino e Beausejour; Cornejo, Espinoza, Moya e Aránguiz; Henríquez e Larrivey
  • Desfalque da Universidad de Chile:Walter Montillo (suspenso)
  • Arbitragem: Esteban Ostojich apita a partida, auxiliado por Carlos Barrero e Horacio Ferreiro. O quarto árbitro é Andres Cunha. Todo o quadro vem do Uruguai

Do Globo Esporte