Com entrega do prédio da Delegacia da Mulher, Governo de MS reforça rede de atendimento às mulheres vítimas da violência

Reinaldo entregou na tarde desta segunda-feira, 07, a sede da Delegacia da Mulher e o Núcleo Regional do Instituto Médico Legal em Dourados – Foto: Chico Ribeiro
Reinaldo entregou na tarde desta segunda-feira, 07, a sede da Delegacia da Mulher e o Núcleo Regional do Instituto Médico Legal em Dourados – Foto: Chico Ribeiro

O governador Reinaldo Azambuja destacou, em entrevista coletiva à imprensa, os “ganhos” assegurados a Dourados, frutos das “parcerias” e recursos alocados por meio de emendas parlamentares. Nesta segunda-feira (7.8), o governador entregou a sede da Delegacia da Mulher e o Núcleo Regional do Instituto Médico Legal (IML), obras que estavam sendo aguardadas há um tempo. A demora, segundo o governador, ocorreu em razão da falta de planejamento.

Nesse projeto foram investidos R$ 809.100,11 em recursos oriundos da emenda parlamentar do deputado Geraldo Resende, mais a contrapartida do Governo do Estado, no montante de R$ 146.508,78.

“Não dá para se fazer nada sem planejamento, quando o projeto começa mal, acaba criando dificuldades para as pessoas. Dourados sofreu com isso. O importante é que depois de dois anos e meio nosso governo investiu e o IML está em condições de funcionamento, acabando com espera de 5 anos para uma efetiva operação”, comentou o governador.

A entrega da Delegacia da Mulher, depois de uma espera de três anos, foi destacada pelo governador como uma obra que resgata uma dívida social e está sendo inaugurada no dia em que se comemora os 11 anos da Lei Maria da Penha.

“A Delegacia de Atendimento à Mulher é uma obra emblemática e a gente quer encorajar as mulheres neste dia em que se comemora a sanção da Lei Maria da Penha. A lei possibilitou às mulheres se livrarem da opressão e denunciar os agressores que praticam a violência. É uma estrutura permanente, efetiva, um ganho para a cidade de Dourados”, destacou Reinaldo Azambuja.

O governador disse que a delegacia, com atendimento humanizado, terá reforço no efetivo, com a realização de concurso da Polícia Civil. “Vamos direcionar os profissionais para este trabalho e conseguir disponibilizar esse serviço para as mulheres 24 horas por dia”.

Ao participar da entrega da sede própria da Dam, a subsecretária de Políticas Públicas para Mulheres, Luciana Azambuja, falou da importância da inauguração do novo prédio. “A subsecretaria apoia essa nova sede, inaugurada neste dia 7 de agosto, dia em que a Lei Maria da Penha completa 11 anos de sanção. O Governo do Estado mostra mais uma vez o comprometimento e a responsabilidade com esse tema tão caro às mulheres para o combate a violência e atendimento humanizado”, afirmou.

Já a delegada titular da Dam, Paula Ribeiro, destacou que o trabalho eficiente da equipe vai melhorar ainda mais com a nova estrutura, e quem ganha com isso é a população. “Nós não trabalhamos somente com a repressão. É um trabalho de toda a rede também para a prevenção. Este mês vamos juntar mais de 60 escolas para levar o projeto Maria da Penha vai à Escola. E graças a emenda parlamentar do Geraldo Rezende, nós temos uma biblioteca, para atender com qualidade as crianças”, afirmou.

A entrega da sede própria da Dam representa a ampliação da rede de proteção às mulheres vítimas da violência. Em julho, a Delegacia iniciou o atendimento itinerante na aldeia indígena Jaguapiru, atendendo pedido da comunidade. As mulheres indígenas também estão recebendo atendimento psicológico e de assistência social.

Segurança –O governador destacou também a interlocução com o Governo Federal em relação à segurança nas fronteiras.

“A União se omite da responsabilidade, empurra para os Estados o problema da segurança nas Fronteiras. Nós estamos fazendo a nossa parte, eu levei a proposta para o presidente Michel Temer e para mais cinco ministros. Não dá mais para a União não olhar para as fronteiras do Brasil e, principalmente, para as nossas fronteiras com o Paraguai e a Bolívia, que acabam sendo principais distribuidores de drogas para o resto do país, inclusive para o Rio de Janeiro”, afirmou o governador, lembrando que na reunião dos governadores do bloco do Brasil Central, todos reivindicaram melhorias na segurança das fronteiras.