Industria que teve projeto aprovado é a Biotech Brasil Fermentos e Coagulantes – Divulgação

Após receber apoio do ISI Biomassa (Instituto Senai de Inovação em Biomassa), de Três Lagoas (MS), a empresa Biotech Brasil Fermentos e Coagulantes, que processa e produz fermentos e enzimas para a produção de leite e está localizada no município de Alto Piquiri (PR), foi aprovada no Edital de Inovação para Indústria e terá financiada pelo Senai parte do projeto Caseu, que consiste na produção de fermento lático para fabricar queijos. 

Segundo o gerente de gestão em tecnologia e inovação do Senai, Leandro Schneider, o Edital de Inovação abre as portas para que as indústrias de pequeno porte possam se modernizar. “É uma grande oportunidade para que todos que tenham sonhos de desenvolver novos produtos e melhorar seus processos possam buscar apoio de uma instituição de alta competência para o desenvolvimento desses produtos”, afirmou. 

Ele destacou que Mato Grosso do Sul possui um histórico de aprovação de projetos em todos os ciclos do Edital de Inovação para a indústria. “Para nós, é uma grande felicidade estar mais uma vez contemplado com esse projeto, conseguindo apoiar o desenvolvimento dessas empresas”, completou. 

Na mesma linha, a pesquisadora do ISI Biomassa, Desireé Soares da Silva, que orientou a empresa Biotech na elaboração do projeto Caseu, reforçou a importância do Edital de Inovação como oportunidade para que empresas de pequeno porte possam inovar. “É a segunda vez que essa empresa participa do Edital de Inovação em parceria com o ISI Biomassa e ficamos muito felizes de ver o seu desenvolvimento em pesquisa e desenvolvimento de novos produtos”, considerou. 

Ainda conforme a pesquisadora, o projeto Caseu tem o objetivo de produzir culturas lácteas com eficácia já comprovada para produção a nível industrial de queijos finos, como prato, reino, cheddar, edam e manchego. “Esse produto atualmente é importado de outros países, porque não é produzido por nenhuma empresa brasileira. Então a Biotech importa esse produto, processa e produz o seu fermento, que é comercializado para laticínios da região do Paraná e demais Estados”, explicou. 

Para o empresário Clodoaldo Campo, um dos sócios da Biotech, o apoio do ISI Biomassa na elaboração do projeto foi fundamental para conseguir a aprovação. “Acredito que o Edital de Inovação para a Indústria é de extrema importância para que empresas pequenas como a minha possam investir em inovação e desenvolver novos produtos. Essa é a segunda vez que desenvolvo um projeto em parceria com o ISI Biomassa, o que demonstra nossa satisfação com a instituição”, finalizou.