Com apoio da Abrasel MS, restaurantes aderem à campanha do MPE MS contra o feminicídio

Com intermédio e apoio da Abrasel MS – Associação Brasileira de Bares e Restaurantes de Mato Grosso do Sul, os estabelecimentos estão participando da campanha “Feminicídio: não faça parte da estatística”, promovida pelo MPMS – Ministério Público.

A campanha, que alerta para os relacionamentos abusivos e chama a atenção das vítimas para darem um basta e pedirem ajuda, está sendo realizada por meio da fixação de cartazes nos bares e restaurantes.

Para o presidente da Abrasel MS, Juliano Wertheimer, a campanha é de suma importância e conta com total apoio da entidade. “Nossos associados entraram na campanha contra o feminicídio e estão colocando cartazes para ajudar a esclarecer as vítimas, chamando a atenção daquelas mulheres que se encontram em um relacionamento abusivo, ou que sejam vítimas de agressão”.

Juliano destacou a participação dos bares e restaurantes nesta campanha de alerta e conscientização. “Nossa entidade e nossos associados fazem parte dessa força-tarefa para reduzir os casos de feminicídio em nosso estado. Todos nós podemos ajudar”.

O presidente parabenizou a iniciativa do Ministério Público. “São mais de 500 ocorrências de feminicídio registradas desde 2015. Um número que chama a nossa atenção e nos une ao Ministério Público para mudarmos essa realidade”.

Para Nadja Toumani, proprietária do restaurante Priya, a campanha é de suma importância. Ela destacou que faz parte dos valores e da forma como a empresa pretende trabalhar. “A Priya é um restaurante que se posiciona bastante quanto às questões que envolvem o universo feminino no geral, especialmente nas lutas por direito, igualdade, respeito e a violência doméstica ela é realmente uma coisa que acontece demais e a gente não consegue acreditar que seja tão potente, em tempos, com a evolução que nós temos como sociedade e ainda existir esse tipo de acontecimento e ser tão comum”.

Nadja ressaltou a campanha. “É muito importante que nós como empresa, como comércio, como lugar de procura, um lugar onde as pessoas vão para se alimentar, tenha um posicionamento bem firme, bem aberto, bem de acolhimento e de divulgação, de tudo mais que possa proteger as mulheres contra a violência doméstica. Então é muito importante e válido estar ativo, presente e realmente provocando esse tipo de discussão e pensamento”.

Em caso de emergência disque 190, ou procure uma Promotoria de Justiça.

DEIXE UM COMENTÁRIO/RESPOSTA

Por favor, digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.