Coletivo cria selo musical para lançar artistas independentes

Foto: Tui Boaventura

A Mandioca Records nasceu do desejo de projetar a música alternativa no cenário nacional.

Mato Grosso do Sul ganhou um projeto de peso com nomes da nova geração para aquecer a cena musical alternativa da cidade. O selo Mandioca Records é uma marca voltada para artistas independentes que oferece todo o processo de lançamento de música e conta com assessoria de comunicação, direção artística, produção musical, produção audiovisual, estúdio, distribuição digital, gestão de agenda de shows e fotografia.

O coletivo reúne a identidade da arte de MS — pelos anos de contato íntimo com a cena local, criando, lançando artistas e produzindo eventos — com o que tem sido criado pelo mundo. Daí surge o nome “Mandioca”, alimento típico sul-mato-grossense e que faz sucesso no prato de muita gente. “O objetivo da Mandioca Records é reconhecer e valorizar o produto artístico regional e nunca deixar essas raízes, mas também ser ponte para conectar artistas com o público, os grandes centros e o mundo”, afirma o fundador Julio Queiroz.

Era setembro de 2019 quando o artista e produtor musical Julio Queiroz decidiu se mudar para Portugal com toda sua família. A expectativa era tentar uma vida nova com mais oportunidades para viver do próprio trabalho com a música. Os projetos iam bem e contatos para shows e parcerias aconteciam até que a pandemia obrigou o mundo a refazer os planos.

Trancado em casa, Julio Queiroz lançou trabalhos autorais e produziu artistas do país lusitano durante todo o ano de 2020. Quando a situação parecia melhorar, veio a segunda onda da COVID-19 e Portugal voltou a fechar tudo. Desta vez, ele e sua família decidiram voltar ao Brasil e recomeçar.

Na volta para o Brasil, o artista também trouxe na bagagem muita experiência do mercado musical na Europa para aplicar à realidade sul-mato-grossense. Antes mesmo de pousar em Campo Grande, ele já fez contato com amigos profissionais da arte para montar um selo musical que atendesse a cena alternativa da cidade. “As nossas ideias casaram e a Mandioca começou a cozinhar”, brinca Julio.

Além de Julio Queiroz, responsável por gravar e produzir as músicas, o selo conta também com as fotógrafas Tui Boaventura, Camila Vilar e Paula Cayres para as criações artísticas, e com Aly Ladislau, produtor cultural, Fernando Henryque, redator criativo, e Francisco Joaquim, diretor de arte, que comandam a agência cultural Árvore-ser, especializada em marketing digital e comunicação para artistas.

Para este semestre, o selo já promete lançar singles de 4 artistas: DOVALLE, G Ribeiro, Jool e o próprio Julio Queiroz. O que une o casting, segundo os fundadores, é a criação de música livre, brasileira e universal, conectando ritmos tradicionais com o indie e a psicodelia. E Julio Queiroz garante que a Mandioca Records está aberta para receber artistas que dialoguem com esta proposta, não só de MS, mas de todos os cantos do Brasil.

DEIXE UM COMENTÁRIO/RESPOSTA

Por favor, digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.