“Labradores – Caninos Loucos”. Este é o nome da nova tecnologia que, em parceria com a USP (Universidade de São Paulo), está sendo aplicada pelos pesquisadores do Centro de Inovação do Sesi de Mato Grosso do Sul nos protótipos de soluções pensadas para atender às demandas da indústria nacional. O reforço foi enviado pela universidade e chegou ao Centro de Inovação, localizado em Campo Grande (MS), e atua com a linha de pesquisa de sistemas para gestão da saúde e segurança do trabalho nas empresas.

Agora, explica o gerente de Inovação e Tecnologia do Centro, Ricardo Egídio, a ideia é fazer uso do recurso para aprimorar os projetos em andamento. “As placas labradores que estão conosco são o primeiro passo de uma grande parceria com a USP e tornarão nossos protótipos mais precisos, escaláveis e aderentes às necessidades das indústrias”, avaliou Ricardo Egídio. Um dos projetos de curto prazo miram o Edital de Inovação para a Indústria 2019, iniciativa do Sesi e Senai para o financiamento de projetos inovadores para a indústria.

A categoria Inovação Setorial em Segurança e Saúde no Trabalho e Promoção da Saúde, por exemplo, prevê a inscrição de projetos como os que são desenvolvidos pelo Centro de Inovação. “A chegada das placas Labradores, com alta capacidade de processamento e interfaces de comunicação, vai aprimorar e fortalecer as pesquisas do nosso time”, acrescentou Ricardo Egídio.

Labrador

A placa “Labrador” foi desenvolvida pelo Laboratório de Sistemas Integráveis Tecnológico (LSI-TEC), da USP, no âmbito do “Programa Caninos Loucos”, financiado pelo Ministério da Ciência, Tecnologia, Inovações e Comunicações. O “Caninos Loucos” desenvolve Single Board Computers (SBCs) com estrutura aberta, hardware e software, para Internet das Coisas (IoT) e quer formar uma comunidade de desenvolvedores para uso da tecnologia de IoT no meio industrial e disseminar a aprendizagem de eletrônica embarcada no Brasil.

Essa é uma iniciativa do LSI-TEC com o apoio da Escola Politécnica da Universidade de São Paulo (Poli-USP) e do Jon “Maddog” Hall, diretor do Conselho do Linux Professional Institute. A placa “Labrador” é a primeira Single Board Computer da “Caninos Loucos” aberta e com as funcionalidades de um computador. Essa placa é capaz de rodar em um sistema operacional Android ou Linux, acessar a Internet por cabo de rede ou Wi-Fi, reproduzir vídeos e executar programas de edição de texto.

A Labrador é uma combinação de duas placas, a core board, uma placa de tamanho reduzido e alta capacidade de processamento, e a base board, onde encontramos as diversas interfaces de comunicação. Esse conjunto possui proteção ESD, é compacta, resistente e serve para as mais diversas aplicações, desde projetos pessoais até aplicações comerciais.