Modelo acusou atacante do PSG de estuprá-la em Paris – Foto: Ansa

O Ministério Público de São Paulo apresentou na terça-feira (17) uma denúncia contra a modelo Najila Trindade por acusação caluniosa e extorsão no caso em que acusa o atacante Neymar de estupro durante um encontro em Paris, na França, no último dia 15 de maio. A medida foi tomada sete dias depois da Polícia Civil indiciar a jovem por fraude processual, denunciação caluniosa e extorsão.

Na ocasião, seu ex-marido Estivens Alves também foi denunciado por fraude processual e divulgação de conteúdo erótico. No último dia 11 de setembro, Najila prestou depoimento na Delegacia de Repressão aos Crimes de Informática (DRCI), na Cidade da Polícia, zona Norte do Rio, sobre o processo que acusa Neymar de divulgar suas imagens íntimas e manteve as denúncias, incluindo a de estupro.

O indiciamento da modelo ocorre depois da conclusão de dois inquéritos abertos no 11º DP, em Santo Amaro, na zona sul de São Paulo. Caso a Justiça acolha a denúncia, Najila passará a ser ré. O caso de estupro envolvendo o jogador do Paris Saint Germain (PSG) foi arquivado em 8 de agosto, pela juíza Ana Paula Gomes Galvão Vieira de Moraes, da Vara da região sul de Violência Doméstica Familiar. No entanto, a decisão não significa que Neymar foi considerado inocente. Caso novas provas apareçam futuramente, o inquérito poderá ser reaberto.

O crime teria acontecido no dia 15 de maio deste ano, durante um encontro de Najila com o jogador em um quarto de hotel em Paris, na França.

Da AnsaFlash