Secretário da Sejusp, Antonio Carlos Videira (ao centro), e demais autoridades das forças de Segurança do Estado – Foto: Edemir Rodrigues

Mesmo com cancelamento da festa na Interlagos, Estado vai aumento do efetivo em Campo Grande.

A operação Carnaval 2019 começa oficialmente nesta sexta-feira (1º.3) com 2.397 servidores da Secretaria de Estado de Justiça e Segurança Pública (Sejusp) garantindo a segurança da população de Mato Grosso do Sul em 14 municípios e um distrito nos dias de folia e na volta para a casa.

Serão usados mais de mil policiais militares, 930 bombeiros militares, 350 policiais civis e 12 equipes do Departamento de Operações de Fronteira (DOF) trabalhando durante o Carnaval.

Apesar do cancelamento de festas em vários municípios do interior, por conta da crise financeira, o reforço do efetivo será mantido pelas forças policiais. 

A operação Carnaval será realizada nos municípios de Campo Grande, Bataguassu, Bonito, Bodoquena, Corumbá, Ladário, Costa Rica, Inocência, Miranda, Nioaque, Paranaíba, Sonora, Selvíria e Três Lagoas, além do distrito de Piraputanga.

Nem mesmo o cancelamento pela prefeitura de Campo Grande da festa programada para a avenida Interlagos, que seria realizada no período de 1º a 5 de março, vai reduzir o efetivo programado para trabalhar durante a época de festividade na Capital.

“Optamos por manter em Campo Grande o mesmo efetivo que havíamos planejado. São mais de 500 policiais militares e 360 bombeiros militares, entre outros. O folião que ia para a Interlagos vai passar o Carnaval em outro lugar e precisamos estar atentos”, explicou o secretário da Sejusp, Antonio Carlos Videira, que concedeu coletiva para falar sobre o assunto.

Para algumas forças de segurança, a operação Carnaval já teve início. É o caso do Corpo de Bombeiros Militar que fez a fiscalização dos ambientes para prevenir acidentes e incidentes nos locais de festas.

Nova cota de pesca

A operação Carnaval também já teve início para a Polícia Militar Ambiental (PMA). Ela está trabalhando com 354 homens e mulheres para combater a pesca predatória nas Bacias dos rios Paraguai e Paraná.

A preocupação é redobrada já que nesta quinta-feira (28.2), às 23h59, termina o período da Piracema e os rios serão reabertos para pescadores em todo o Estado, mas com mudanças nas regras, porque passa a valer a cota de pescado reduzida pela metade.

Para este ano, uma novidade está no reforço de 17 barcos e nove lanchas entregues pelo governador Reinaldo Azambuja à PMA no dia 8 de fevereiro. Foram entregues R$ 1,274 milhão em equipamentos, incluindo também 28 motores de popa, 5 reboques e 4 rebocadores, que foram adquiridos por meio de compensação ambiental paga pela Companhia Energética de São Paulo (Cesp).