A matéria-prima é a segunda cultura de maior valor no Estado, segundo Ministério da Agricultura

A participação da cana-de-açúcar no Valor Bruto de Produção (VBP) das lavouras de Mato Grosso do Sul é de 20%. De acordo com o levantamento divulgado no início deste mês pelo Ministério da Agricultura, Pecuária e Abastecimento (MAPA), o indicador de valor da matéria-prima utilizada para a fabricação de etanol e açúcar atingiu 4,6 bilhões de reais em 2018. No total, as lavouras do Estado, que se dividem em outras vinte culturas, totalizaram 22,5 bilhões de reais em VBP.

O indicador que considera o valor de produção e dos preços praticados no período, coloca a cana-de-açúcar na segunda posição entre as culturas com maior participação no VBP do Estado. Na primeira posição está a soja, que corresponde a 55% do VBP agrícola sul-mato-grossense. Depois da cana-de-açúcar, está o milho com participação de 16%.

O levantamento traz ainda a estimativa do indicador para 2019, com referência nos preços de julho. O VBP das lavouras no Estado aparece com queda de 10% com relação a 2018, estimado no valor de 20,2 bilhões de reais.

A cana-de-açúcar e a soja também apresentam tendência de redução de 4% e 24%, respectivamente. O destaque da avaliação do Ministério da Agricultura é para a cultura do milho, que deve crescer 27%, segundo o órgão, pelo bom desempenho da segunda safra.

Outras culturas

Com tendência de queda no VBP 2019 ainda aparecem as culturas de algodão [-3], mandioca [-27] e arroz [- 3], considerando indicadores acima de 60 milhões de reais.

Para o feijão, a estimativa é positiva. O alimento deve ocupar a sétima posição no VBP do Estado, com estimativa de atingir 124 milhões de reais em VBP, crescimento de 148% com relação a 2018, quando registrou 50 milhões de reais de VBP.