Audiência pública será no dia 31, às 18h30 na Câmara Municipal, com especialistas e entidades

Vereadora Daniela Hall e deputado Estadual Marçal Filho são os propositores do evento – Foto: Divulgação

A Câmara Municipal de Dourados realiza a audiência pública “Me trate direito: Os desafios e direitos da pessoa com câncer”. O evento acontece no próximo dia 31, às 18h30 na sede do legislativo douradense.

Numa proposição da vereadora Daniela Hall (PSD), o evento vai contar com especialistas como mastologista Ana Teresa Gusmão de Lucia, que apresentará a palestra “Câncer de Mama – Prevenção, Diagnóstico  e Desafios”. A médica é  vice-presidente regional da Sociedade Brasileira de Mastologia.

A palestra “Câncer de Mama: Tratamentos cirúrgicos e Acesso Terapêutico” será ministrada pelo mastologista Gabriel Ikejiri, membro da Sociedade Brasileira de mastologia. O evento conta ainda com a palestra “Câncer de próstata – Diagnóstico, Tratamentos e Desafios”, com o médico oncologista e vice-presidente regional da Sociedade Brasileira de Cirurgia Oncolócica, Vitor Arce Cathcart.

A presidente da Comissão de Saúde da Ordem dos Advogados do Brasil (OAB – 4ª subseção- Dourados), Helena Isidoro e a advogada Michelle Adriane Puchaski Pierobon apresentarão a palestra: “Atuação da OAB a respeito do Serviço Público de Oncologia de Dourados”. A presidente da Comissão dos Direitos Previdenciários da (OAB – 4ª subseção- Dourados), Rilziane Guimarães Bezerra de Melo, apresentará a palestra “O Direito Previdenciário para pessoas com Câncer”.

De acordo com a propositora do evento, pacientes com câncer enfrentam uma verdadeira “via crucis” para o diagnóstico e tratamento da doença no Brasil. “Apesar da lei federal dos “60 dias”, muito ainda precisa ser feito para garantir que essa legislação de fato saia do papel”, destaca.

Ela ressalta que somente nos casos de câncer de mama, a estimativa é de 830 novos casos por ano em Mato Grosso do Sul, segundo o Instituto Nacional de Câncer (Inca). Apesar dos números expressivos, o Estado tem a segunda menor cobertura mamográfica do Centro-Oeste.  Ao todo, 82% das mulheres na faixa etária entre 50 e 69 anos atendidas pelo Sistema Único de Saúde (SUS) não fizeram a mamografia no Estado. A reconstrução mamária é outro desafio.

Tumor mais comum entre as mulheres e também o 2º que mais mata, o câncer de mama tem em 60% dos casos um diagnóstico tardio, diminuindo as chances de cura. Em 2016, mais de 16 mil mulheres morreram vítimas de da doença.

Sabendo desses números, preparamos essa audiência para que pessoas com câncer e seus familiares possam conhecer os seus direitos.

Realização

O evento é uma proposição da vereadora Daniela Hall (PSD), com apoio do deputado estadual Marçal Filho, além da Federação Brasileira de Instituições Filantrópicas de Apoio à Saúde da Mama (Femama), Associação de Combate ao Câncer da Grande Dourados (ACCGD) e Grupo Amigos do Peito.