Câmara de Dourados recebe Missão Caiuá durante sessão ordinária

O presidente da Missão explanou sobre as atividades desenvolvidas

Presidente da Missão Caiuá durante tribuna livre – Foto: Thiago Morais

O presidente da Missão Evangélica Caiuá, reverendo Geraldo Silveira Filho, usou a tribuna livre da Câmara de Dourados, nesta segunda-feira (11) durante sessão ordinária, para falar sobre as atividades desenvolvidas pela instituição.

O reverendo apontou que a missão possui 90 anos, trabalhando de forma ininterrupta com a comunidade indígena do país. Em Dourados, o trabalho é realizado através do Hospital Porta da Esperança, com atendimento 100% através do SUS (Sistema Único de Saúde).

“Nosso atendimento é 100% para a população indígena”, ressaltou o reverendo. Ele ainda apontou que 35% das despesas da missão são custeadas pela Igreja Presbiteriana do Brasil e pela Igreja Presbiteriana Independente do Brasil.

O trabalho da missão, conforme o presidente, é na área de recursos humanos, não oferecendo insumos ou transporte da equipe para os distritos de Dourados. Sendo que a Sesai (Secretaria Especial de Saúde Indígena) elabora o plano de trabalho, que determina a contratação dos profissionais.

O presidente da Câmara de Dourados, Alan Guedes (DEM), frisou que tem ouvido e visto, muitas vezes, números que parecem superlativos, mas aponta que muitos não conhecem o trabalho que a Missão tem realizado no Brasil, tendo nove distritos de saúde indígena no país.

“Temos ouvido uma série de desinformações a respeito do papel da Missão Caiuá. Por isso é necessário que as pessoas sejam esclarecidas. Acredito que o trabalho que eles prestam para a saúde indígena no Brasil é pouco conhecido. Sabemos dos números que são divulgados e esperamos que a Missão possa continuar com este bom desempenho, porque os números que justificam estas contratações não são parâmetros para o número de vidas salvas pela Missão Caiuá”, ressaltou.

Projetos

Dando seguimento à sessão ordinária, foram votados três projetos. Em 2ª discussão e votação, foi aprovado o Projeto de Lei Complementar nº 007/2019 (007), de autoria do Poder Executivo, que altera dispositivo na Lei nº 1041/1979, que regula o loteamento e terrenos, passando a obrigar a utilização de LED na iluminação pública destas áreas.

Em 1ª discussão e votação, foi aprovado o Projeto de Lei nº 019/2019, de autoria do vereador Elias Ishy (PT), que declara de Utilidade Pública a Associação Civil Instituto de Desenvolvimento Artístico e Social – Sucata Cultural.

Ainda foi aprovado o pedido de vistas ao Projeto de Emenda a LOM nº 001/2019, de autoria do vereador Marcelo Mourão (PRP) e outros, que altera a redação do § 3º do Artigo 18 da Lei Orgânica do Município, fixando em dez dias úteis o prazo para o chefe do Poder Executivo prestem as informações solicitadas, através de requerimento, pelo Poder Legislativo, importando em infração político-administrativa a recusa, prestação de informação falsa ou o não atendimento do prazo.