Com seis votos contrários à cassação, denúncia em desfavor de Cirilo Ramão foi arquivada – Foto: Thiago Morais

Foi aprovado o arquivamento da denúncia contra o vereador afastado Cirilo Ramão Ruis Cardoso. A sessão especial foi realizada nesta quarta-feira (15), na Casa de Leis, após denúncias por quebra de decoro parlamentar, investigada na Comissão Processante composta por Bebeto (PR), Junior Rodrigues (PR) e Silas Zanata, sendo presidente, relator e membro, respectivamente.

A sessão especial, convocada pelo presidente Alan Guedes (DEM), teve início às 17h e encerrou-se às 21h45, período em que foi feita a leitura da denúncia e relatório final, pelos vereadores Sergio Nogueira (PSDB), 1º secretário, Daniela Hall (PSD), 2ª secretária da Casa de Leis. O advogado Fernando Baraúna, patrocinador da denunciada, falou por, aproximadamente, duas horas em defesa de Cirilo.

Foram 12 votos favoráveis à cassação, dos vereadores Cido Medeiros (DEM), Marinisa Mizoguchi (PSB), Madson Valente (DEM), Lia Nogueira (PR), Toninho Cruz (PSB), Daniela Hall (PSD), Alan Guedes (DEM), Sergio Nogueira (PSDB), Elias Ishy (PT), Silas Zanata (PPS), Ramim (PDT) e Olavo Sul (Patriota), e seis contra a denúncia, dos vereadores Juarez de Oliveira (MDB), Carlito do Gás (Patriota), Jânio Miguel (PR), Bebeto (PR), Junior Rodrigues (PR) e Maurício Lemes (PSB), sendo que era necessária a maioria qualificada, ou seja, 13 votos para o processo não fosse arquivado. Portando foi julgada improcedente a denuncia em desfavor do vereador afastado, determinando o arquivamento do processo.

O vereador Marcelo Mourão (PRP) não participou da votação, por ser o suplente imediatamente interessado no resultado.