Calvície: saiba a diferença entre implante e transplante capilar

Quando se trata de procedimentos cirúrgicos realizados para resolver a calvície e outras disfunções que levam à queda de cabelo, muitas pessoas tendem a confundir o implante capilar com o transplante capilar. Entretanto, eles são dois tipos distintos de cirurgia, e é importante saber a diferença antes de iniciar o seu tratamento.

Implante capilar

O implante é um procedimento que utiliza material produzido artificialmente para se parecer com fios naturais de cabelo. Esses fios sintéticos são enxertados na região atingida pela calvície e apresentam um resultado imediato. Entretanto, com o passar do tempo, ocorre a rejeição desses implantes por parte do organismo, já que nenhum fio é 100% biocompatível. Caso isso ocorra, além da queda dos fios, a cabeça pode ficar com pequenas cicatrizes puntiformes aparentes.

Esse procedimento não costuma ser realizado no Brasil devido às complicações que normalmente apresenta.

Transplante capilar

O transplante capilar é um procedimento bastante diferente do implante, pois, ao invés de fios sintéticos, são utilizados os folículos pilosos do próprio paciente.

Nesse caso, as unidades foliculares são retiradas da região doadora (área que não foi afetada pela calvície), que geralmente é a parte posterior da cabeça. Em seguida, esses folículos, que possuem mais de um fio de cabelo, são transplantados para a área calva, chamada de região receptora.

Existem duas técnicas de transplante capilar: FUE e FUT. Na FUE, os folículos são retirados um a um com o auxílio de um instrumento chamado punch. Depois, cada um desses folículos é separado em enxertos de até três fios, que são transplantados para a região receptora por meio de microincisões. Esse processo dura em torno de quatro horas, e a recuperação é bem tranquila.

Na técnica FUT, o cirurgião retira uma faixa do couro cabeludo da parte posterior e das laterais da cabeça e utiliza os folículos que não foram afetados pela calvície. Em geral, esse procedimento é menos demorado do que o FUE, mas deixa uma cicatriz linear definitiva no couro cabeludo.

Nas duas técnicas de transplante capilar, o período de crescimento dos fios que foram transplantados é o mesmo. Após quatro meses de cirurgia, já é possível notar o cabelo começar a crescer e, após 12 meses, em média, o resultado desejado é obtido.

Lembre-se que, antes de se submeter a qualquer tipo de tratamento clínico ou procedimento cirúrgico, é extremamente importante consultar um médico especialista. Esse profissional poderá diagnosticar corretamente a causa da sua queda de cabelo, tirar todas as suas dúvidas e indicar o melhor tratamento para você.