Acompanhando o cenário nacional de arrefecimento, em maio a ICF (Intenção de Consumo das Famílias) de Campo Grande ficou em 100,7 pontos, redução de 2,2 pontos comparado a abril, conforme a pesquisa da CNC (Confederação Nacional do Comércio de Bens, Serviços e Turismo).

“Tivemos uma interrupção do processo de recuperação econômica que havia se intensificado no início deste ano. As preocupações acerca do futuro econômico e político deixaram o consumidor mais cauteloso. Embora a ICF esteja na chamada “zona positiva” – acima dos 100 pontos – o indicador de compras a prazo segue em queda, o que demonstra essa insegurança em assumir compromissos bem como dificuldade de acesso ao crédito”, avalia o presidente do Instituto de Pesquisa e Desenvolvimento da Fecomércio MS (IPF-MS), Edison Araújo.

Na variação mensal, os indicadores que apresentaram retração foram a avaliação do emprego atual (-2,5%), a perspectiva profissional (-,06%), indicador de compras a prazo/acesso ao crédito (-3,5%),  avaliação do momento para a compra de duráveis, perspectiva de consumo (-0,3%) e o nível atual de consumo (-1,8%). Somente o indicador de renda atual obteve uma leve reação (0,9%).

Confira aqui a pesquisa na íntegra