País diz estar pronto para rever relações com Washington

Exército dos EUA bombardeou membros da milícia Kataib Hezbollah – Foto: EPA

O governo iraquiano demonstrou nesta segunda-feira (30) sua crescente indignação após pelo menos 25 combatentes morrerem na fronteira com a Síria, em ataques realizados pelos Estados Unidos contra uma milícia pró-Irã. Em comunicado, o primeiro-ministro iraquiano, Adel Abdul Mahdi, condenou a ofensiva e a descreveu como um “ataque perigoso inaceitável que terá consequências perigosas”. O governo ainda afirmou que será forçado a “rever suas relações” com Washington porque os atos “violam a soberania do Iraque”, além de violar “as regras de engajamento” da coalizão internacional liderada pelos EUA para combater os jihadistas.

“As forças americanas agiram de acordo com suas prioridades políticas e não com as dos iraquianos”, denunciou.

No domingo (29), o Exército dos EUA bombardeou membros da milícia Kataib Hezbollah, em resposta ao assassinato de um civil americano em um ataque com foguetes contra seus soldados e diplomatas, de acordo com as autoridades locais. (Da AnsaFlash)

Assembleia_Mais ALEMS