Faturamento deve chegar a R$ 2,2 bilhões, de acordo com pesquisa divulgada pelo Google

A Black Friday de 2017, marcada para 24 de novembro, deve movimentar R$ 2,2 bilhões em vendas pela internet. Esse número é 15% maior do que em 2016, quando o faturamento foi de R$ 1,9 bilhão, de acordo com a Ebit. O crescimento pode chegar a 20% neste ano. Os dados são de uma pesquisa divulgada pelo Google Brasil. De acordo com o levantamento, o evento é o segundo mais importante para o comércio, atrás apenas do Natal.

Dos entrevistados, 71% já compraram na Black Friday e 68% pretendem comprar neste ano. Em 2016, a intenção de compra era de 61%. O que motiva os consumidores são os preços mais baratos, mas lojas com boa reputação, marcas de confiança e o custo de frete também interferem na decisão de compra.

Produtos mais procurados

Os eletrônicos, como smartphones, notebooks, tablets e TVs, são os produtos mais procurados pelos brasileiros na Black Friday, de acordo com a pesquisa, com 44%. Logo em seguida, vem vestuários e acessórios (19%), games e beleza (9%), itens esportivos (8%) e móveis (3%).

Tendência de busca

O Google identificou um crescimento na busca de alguns produtos na Black Friday em relação às outras sextas-feiras do ano. De acordo com a pesquisa, os produtos que apresentam um crescimento no número de buscas são Chromecast e cápsulas de café, com 213% de aumento em comparação com outras sextas-feiras. Em seguida, estão colchão e fralda (183%) e whisky (166%). Os itens cujas buscas crescem menos são papel higiênico (7%), hotel (13%) e produtos pet (14%).

Redução de problemas

Quando a Black Friday chegou ao Brasil, em 2010, não eram raras as reclamações sobre as promoções. Durante anos, várias lojas foram acusadas de subir o preço dos produtos anteriormente e dar um desconto em cima desse aumento, o que gerou uma onda de revolta entre os consumidores. Por causa disso, o evento passou a ser apelidado de “Black Fraude”.

Em 2016, no entanto, observou-se uma redução desses problemas e uma maior conscientização dos consumidores. O aumento nas pesquisas sobre a reputação das lojas foi de 26%, além de queda de 33% nas reclamações sobre as promoções da Black Friday. A pesquisa perguntou qual hashtag melhor descreve a Black Friday para os consumidores hoje em dia. Entre as respostas, 55% foram positivas, 37% foram neutras e apenas 8% delas foram negativas.