Banco de Leite Humano do HU-UFGD recebe Certificado de Reconhecimento pelo trabalho realizado em 2021

Certificado emitido pela Rede Brasileira de Bancos de Leite Humano destaca a realização de ações “como uma intervenção integral a favor da saúde da mulher e da criança” 

A equipe do Banco de Leite Humano “Hilda Bergo Duarte”, pertencente ao Hospital Universitário da Universidade Federal da Grande Dourados (HU-UFGD), encerra o ano de 2021 com um Certificado de Reconhecimento emitido pela Rede Brasileira de Bancos de Leite Humano (rBLH-BR).

Ao conceder o Certificado, a rBLH-BR destaca os resultados do trabalho solidário e em rede na superação dos desafios ao longo do ano de 2021, especialmente em decorrência da realidade imposta pela pandemia, estruturando ações para a assistência em aleitamento materno e processos de doação de leite humano.

Para a Responsável Técnica do BLH do HU-UFGD, nutricionista Rita de Cássia Dorácio Mendes, manter o fluxo de atendimento com qualidade durante esse ano só foi possível graças ao empenho e dedicação de toda a equipe. “Toda a equipe do Banco de Leite ficou muito feliz com o certificado, porque todos se esforçaram para manter a qualidade do serviço durante a pandemia”, comenta.

Os números de 2021 

De janeiro a dezembro de 2021, o BLH do HU-UFGD realizou 1.810 visitas domiciliares e contou com 1.467 doadoras de leite. Ao todo, foram coletados 1.636,8 litros de leite humano. Desse total, 706,02 litros foram pasteurizados e o volume distribuído chegou a 1.112,25 litros, beneficiando 712 bebês internados.

O BLH do HU-UFGD 

O Banco de Leite Humano Hilda Bergo Duarte foi inaugurado no dia 20 de dezembro de 2006, quando a administração da Maternidade e da UTI Neonatal era responsabilidade do Hospital Evangélico de Dourados.

Em fevereiro de 2008, já sob gestão do Município, tiveram início as atividades assistenciais, de apoio e incentivo ao aleitamento materno, funcionamento da sala de ordenha e distribuição de leite humano ordenhado cru no então Hospital da Mulher.

Em dezembro de 2008, ocorreu a ativação dos setores de lavagem, esterilização, laboratório de pasteurização, laboratório de microbiologia, área de armazenamento e estocagem e recepção com estrutura no então Hospital do Trauma. Em fevereiro de 2009, tiveram início a coleta externa, a visita domiciliar e o processo de pasteurização e distribuição de leite humano ordenhado pasteurizado.

Em janeiro de 2011, o serviço passou a ser administrado pelo HU-UFGD e, em agosto de 2014, foram inauguradas as novas instalações, permitindo que todo o processo, da ordenha à pasteurização, armazenamento e distribuição, fosse centralizado no mesmo local.

A rBLH-BR 

A Rede Brasileira de Bancos de Leite Humano é uma iniciativa do Ministério da Saúde, por intermédio de uma parceria entre o Instituto Nacional de Saúde da Mulher, da Criança e do Adolescente Fernandes Figueira da Fundação Oswaldo Cruz (IFF/Fiocruz) e o Departamento de Ações Programáticas e Estratégicas da Secretaria de Atenção à Saúde (DAPE/SAS).

O Brasil possui a maior e mais complexa rBLH do mundo, com aproximadamente 160 mil litros de leite humano distribuídos todos os anos a recém-nascidos de baixo peso internados em unidades neonatais no país.

O programa de sucesso é modelo para a cooperação internacional em mais de 20 países das Américas, Europa e África, estabelecida por meio da Agência Brasileira de Cooperação (ABC).

A Rede Ebserh 

Desde setembro de 2013, o HU-UFGD é vinculado à Empresa Brasileira de Serviços Hospitalares (Ebserh). Ligada ao Ministério da Educação (MEC), a Ebserh foi criada em 2011 e, atualmente, administra 40 hospitais universitários federais, apoiando e impulsionando suas atividades por meio de uma gestão de excelência.

Essas unidades hospitalares, que pertencem a universidades federais, têm características específicas: atendem pacientes do Sistema Único de Saúde (SUS), e, principalmente, apoiam a formação de profissionais de saúde e o desenvolvimento de pesquisas.

Devido a essa natureza educacional, os hospitais universitários são campos de formação de profissionais de saúde. Com isso, a Rede Ebserh atua de forma complementar ao SUS, não sendo responsável pela totalidade dos atendimentos de saúde das regiões em que os hospitais estão inseridos, mas se destacam pela excelência e vocação nos procedimentos de média e alta complexidades.

DEIXE UM COMENTÁRIO/RESPOSTA

Por favor, digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.