Audiência pública sobre Narguilé acontece hoje, 15, na Câmara de Dourados

Audiência Pública é aberta ao público e será realizada no Plenário Weimar Gonçalves Torres – Foto: Thiago Morais

De acordo com a OMS (Organização Mundial da Saúde), o Narguilé traz mais malefícios que o cigarro, sendo que, durante exposição de duração média de 20 a 80 minutos a substância, o fumante inala componentes tóxicos equivalentes a 100 cigarros, além aumentar os riscos de infarto, problemas pulmonares, disfunção erétil e vários tipos de câncer. E, para falar sobre os malefícios desta substância, a Câmara de Dourados, realizará hoje, 15, às 19h, uma audiência pública com palestra ministrada pelo médico psiquiatra e vice-presidente do Conselho Estadual de Políticas sobre Drogas (Cead), Marcos Estevão.

A audiência é uma parceria da Casa de Leis, através da Comissão Permanente de Políticas de Prevenção às Drogas, com o Comad (Conselho Municipal de Políticas Públicas sobre Drogas). O evento é aberto ao público e acontecerá no Plenário da Casa de Leis, sob o tema ‘Proibição do uso do Naguilé em local público e venda para menores de 18 anos’.

Conforme o vereador Sergio Nogueira (PSDB), membro da Comissão e um dos organizadores do evento, o intuito é demonstrar os malefícios que o uso do Narguilé traz ao usuário, além dos prejuízos à saúde, tanto para os fumantes quanto para os “passivos”.

Sergio Nogueira ressalta que Dourados já possui uma Lei, de sua autoria, em que é proibida a comercialização das peças que compõem o Narguilé e similares para menores de 18 anos e o uso da substância em locais de aglomeração e concentração de pessoas, implicando penalidades previstas na própria Lei, caso haja o descumprimento.

“Há quatro anos já iniciamos o debate deste tema, quando criei a Lei nº 3.919, de 1º de setembro de 2015, mas ainda falta a conscientização da sociedade. Vemos que ainda existe muitos enfrentamentos a serem feitos que dependem de uma maior fiscalização e do cumprimento da lei em vigor, inclusive com a aplicação das penalidades previstas em Lei”, enfatiza o parlamentar.