Somente com a campanha Agosto Lilás, foram 119 mil pessoas atingidas em 59 municípios – Foto: Edemir Rodrigues

Números são referentes à população diretamente impactada no Estado por campanhas, projetos e programas coordenados pela Subsecretaria de Políticas Públicas para as Mulheres.

Atuação do Governo do Estado na defesa dos direitos das mulheres alcançou 375 mil pessoas em Mato Grosso do Sul neste ano. Os números são da Subsecretaria de Políticas Públicas para as Mulheres e se referem a todos os projetos e programas desenvolvidos nessa área em 2017.

“Estamos engajados nessa luta que é de toda a sociedade, com o governo dando a proteção necessária para que as mulheres vítimas de violência não se calem”, afirmou o governador Reinaldo Azambuja, ao agradecer pelo empenho de todas as entidades envolvidas nos trabalhos.

“Conseguimos colocar num outro nível a discussão governamental em relação às mulheres. Nós levamos essa discussão com parcerias, voluntariado, com uma conjuntura de esforços pela garantia dos direitos das mulheres também para a sociedade civil e para os movimentos organizados”, conta a subsecretária de Políticas Públicas para as Mulheres, Luciana Azambuja.

Segundo a subsecretária, neste ano foi mantido canal permanente do Governo com a sociedade civil e os trabalhos envolveram diversas instituições parceiras que ajudaram a ampliar os resultados. Entre elas as forças policiais e o Judiciário, que trabalharam conjuntamente para oferecer atendimento mais humanizado no enfrentamento à violência.

Em 2017 foi entregue pelo Governo a Sala Lilás, no Instituto de Medicina e Odontologia Legal (Imol), em Campo Grande. O ambiente, preparado para atender exclusivamente mulheres, meninas e crianças vítimas de violência física e sexual na realização de exames de corpo de delito, é o primeiro de Mato Grosso do Sul.

Resultados

Somente com a campanha Agosto Lilás, foram 119 mil pessoas atingidas em 59 municípios – conforme aponta balanço da Subsecretaria de Políticas Públicas para Mulheres. Com o slogan Violência Contra a Mulher é Crime. Denuncie! o trabalho foi desenvolvido em parceria com prefeituras, Ministério Público, Associação dos Municípios de Mato Grosso do Sul (Assomasul), União das Câmaras de Vereadores e entidades por todo o Estado. Foram feitas panfletagens em hospitais, terminais, órgãos públicos e no comércio. Também foram realizadas blitz educativas e ações nas escolas, igrejas, assentamentos e estabelecimentos prisionais.

Várias outras campanhas e ações permanentes foram desenvolvidas pela subsecretaria, incluindo panfletagens, rodas de conversa, palestras e projetos em vários segmentos da sociedade. Entre elas, o programa Maria da Penha Vai à Escola que foi ampliado para atender também em igrejas e empresas, todos com o objetivo de levar informação e conscientização sobre os direitos das mulheres.