Astronauta Marcos Pontes com alunos da Escola do Sesi de Campo Grande – Assessoria

Astronauta que participou de missão no espaço, ministro da Ciência, Tecnologia, Inovações e Comunicações, embaixador da FLL (First Lego League) e ex-aluno do Sesi e Senai. Com um currículo desses, os alunos do time oficial de robótica da Escola do Sesi de Campo Grande, o Lego Jedi, aguardavam ansiosos pela oportunidade de conhecer Marcos Pontes durante a SBPC, o maior evento científico da América Latina que, neste ano, foi realizado em Campo Grande (MS).

Para os estudantes, o astronauta é uma inspiração. “Saber que alguém com a trajetória do Marcos Pontes estudou na Escola do Sesi mostra que estamos no caminho certo. Que temos a oportunidade de ter o conhecimento que precisamos para ser alguém na vida”, afirmou Enrico Chaves, um dos integrantes do Lego Jedi.

Aluna do 1º ano do Ensino Médio, Mariana Arfux, que também é do time oficial da escola, afirma que todo o trabalho desenvolvido por ela nas aulas de Robótica e Iniciação Científica até hoje tiveram o astronauta como referência. “Ele é o maior símbolo do Brasil quando se fala em ciência. O primeiro e único astronauta brasileiro a ir para o espaço. E isso é o máximo”, contou.

Ela revela que pensou com cuidado o que perguntaria para Pontes, hoje ministro, diante do forte do esquema de segurança em torno dele. No ano passado – quando a FLL, principal organizadora das competições de robótica estudantil do mundo e que, no Brasil, é realizado pelo Sesi – anunciou o tema da temporada 2018 (“Into Orbit – Você tem o que é preciso para entrar em órbita”), o time de robótica lotou a caixa de e-mails do astronauta e da Agência Espacial Brasileira para tentar entender sobre a experiência no espaço e o trabalho na NASA (Agência Espacial dos Estados Unidos).

Uma entrevista concedida pelo astronauta à imprensa antes de embarcar na missão espacial foi a grande inspiração do projeto do time elaborado para participação no torneio: um colchonete para melhorar a qualidade de sono durante os dias em órbita. “Acho que conhecemos mais sobre a vida dele do que ele mesmo”, resumiu Enrico Chaves.

O encontro com o ministro reforçou para os alunos que o céu é o limite. Antes de se tornar o primeiro e único astronauta brasileiro a ir para o espaço, Marcos Pontes também fez ensino fundamental na escola do Sesi e curso técnico de Eletricista no Senai. O time Lego Jedi entregou ao ministro um chaveiro contendo o brasão da equipe – e que foi todo elaborado pelos próprios alunos, desde o desenho no TinkerCAD até a impressão, na Impressora 3D educacional disponibilizada pela Escola do Sesi para que os alunos possam desenvolver diferentes protótipos enquanto aprendem.

“Tenho um carinho muito grande pelo Sesi e pelo Senai e por todo o Sistema S. Ali você tem acesso não só a educação, mas a valores que levamos para a vida”, disse Marcos Pontes uma plateia de visitantes da SBPC, ressaltando, ainda, a infância humilde antes de viver entre São Paulo e Houston (EUA), onde trabalhou como engenheiro da NASA.